Desde 02/06/2003 Criação, produção e edição: Edu Cesar


papodebola@gmail.com


papodebola


sitepapodebola


edupapodebola

SOBRE ESTA SEÇÃO
Imagens que marcaram época, sons inesquecíveis, personagens que fizeram história. Para entender o presente, é preciso conhecer o passado. Aqui, recordar é mais do que viver. É saber, é contextualizar, é rememorar. Viaje no tempo.
 
LEIA AQUI as colunas anteriores
 
Segunda, 14 de junho de 2021
50 anos do "Sala de Redação"

O programa esportivo mais antigo do rádio de Porto Alegre e um dos mais duradouros do Brasil não foi desde rigorosamente a estreia apenas um programa esportivo (obs.: digo mais antigo de Porto Alegre pois, no âmbito geral do Rio Grande do Sul, o mais antigo é o "Esportes na Onda", transmitido pela Rádio Caxias desde 1946).

Idealizado por Cândido Norberto (primeiro locutor esportivo gaúcho a transmitir diretamente do exterior em 1949) no que seria o marco zero de um novo tempo para a Rádio Gaúcha - então com departamento de esportes desativado -, começou como uma maratona diária das 11h às 14h. O âncora liderava a atração da redação da emissora e passeava por ela com microfone na mão para destacar, junto aos repórteres dela e do jornal Zero Hora, as principais notícias do dia conforme surgiam. A hora final, a partir das 13h, trazia a conversa de futebol com os setoristas Cláudio Brito, do Grêmio, e Valtair Santos, do Internacional. Por isso mesmo, o nome completo até hoje destacado na abertura é: "Sala de Redação - Debates Esportivos". Esta foi a primeira abertura da atração.



Quando o "Sala" fez cinco anos, Cândido emitiu estas considerações em 19 de junho de 1976. Naquela altura já não havia mais a "maratona" pois, muito por causa do sucesso dele, o departamento de esportes fora reativado em 1973, mesmo ano da estreia de outro programa longevo até hoje no ar: o "Esportes ao Meio-Dia".



Um momento decisivo para a virada rumo à liderança que a Gaúcha obteria alguns anos mais tarde acontece em 1978, quando o principal comentarista esportivo do estado, Ruy Carlos Ostermann, é tirado a peso de ouro da Rádio Guaíba. Ele teve duas fases à frente do "Sala", a primeira indo até 1987, quando fora da emissora esteve devido à carreira política, que incluiu a secretaria de educação no governo de Pedro Simon. Substituído na ancoragem por João Carlos Belmonte, retorna em 1990 e permanece até 28 de junho de 2011, quando encerra suas atividades diárias como apresentador e comentarista de jogos. O registro mais antigo de Ruy nos "Debates Esportivos" remete a 1º de fevereiro de 1984, na despedida de Oswaldo Rolla, o "Foguinho", lendário ex-jogador e ex-treinador do Grêmio.



Ao longo destas cinco décadas, nomes famosos não só do futebol, mas também de fora dele sempre bateram ponto no "Sala de Redação". Um deles fazia questão de, sempre que vinha a Porto Alegre, visitar os estúdios da Gaúcha: Chico Anysio, não apenas gênio máximo do humorismo, mas por muitos anos também comentarista esportivo de rádio e televisão. Em 2 de outubro de 1987, ele opinou sobre mudanças que a regra do futebol deveria sofrer.



Festividades ao ar livre também aconteciam em datas especiais. Assim foi nos 25 anos celebrados em 8 de agosto de 1996, quando Roberto Brauner anunciou um a um os então integrantes: Wianey Carlet, Renato Marsiglia, Lauro Quadros, Kenny Braga, Paulo Sant'ana (mais longevo participante do "Sala", de 1971 até 2014) e Ruy Carlos Ostermann. Um jogador de cada time também estava nessa: Gamarra, do Internacional, e Danrlei, do Grêmio.



É frequente os "Debates Esportivos" terem momentos que tiram a todos do sério. Em meados da década de 2000, um desses foi protagonizado por Lauro Quadros ao lembrar dos tempos em que era repórter e era comum entrevistar os jogadores até mesmo tomando banho nos vestiários. Nada mais digo, simplesmente escutem.



E as brigas? Mamãe... Muitas, muitas. Ninguém escapou delas, até mesmo o sempre refinado e elegante professor Ruy era envolvido em algumas. Grande parte delas tinha como partícipe central Kenny Braga (integrante de 1980 até 2014). Quando era com Paulo Sant'ana, então... Bom, bem sabem o que aconteceu para o colorado ser dispensado pela Gaúcha e o gremista ser afastado definitivamente. Melhor ficar nessa briga abaixo. Mais... "nivelada". (rs)



Outra discussão fortíssima o "Sala" viveu em 30 de agosto de 2007 e envolveu Kenny Braga e Wianey Carlet. Os termos mais "gentis", "educados" e "cordiais" foram "desonestidade intelectual" e "burro". Lauro Quadros, substituto imediato de Ruy na apresentação em suas ausências e efetivo entre 2011 e 2012, chamou os comerciais.



Desde 17 de abril de 2012, o comandante do "Sala de Redação" é Pedro Ernesto Denardin, que desde 1978 estava à frente do "Show dos Esportes" (exceção a uma breve saída de pouco mais de um ano entre 1984 e 1986, período no qual foi um dos criadores da brevíssima e marcante Rádio Sucesso, depois tendo alguns meses na Rádio Difusora, atual Bandeirantes). Houve uma surpresa especial: Ruy Carlos Ostermann visitou os ex-colegas naquele dia.



E foi já na "gestão" de Pedro Ernesto que ocorreria um dos mais famosos "arranca-rabos" da história do programa, envolvendo Paulo Sant'Ana e David Coimbra em 6 de abril de 2013, quando o debate era sobre Dida ter falhado ou não no gol que sofreu do Caracas em goleada do Grêmio. É o histórico episódio da "bengalada".



O programa da Rádio Gaúcha teve sua história contada em dois livros: "Sala de Redação - A Divina Comédia do Futebol", lançado em 1998 por Cléber Grabauska e José Coiro; e "Sala de Redação - Aos 45 do Primeiro Tempo", que chegou em 2016 e tem como autores Júnior Maicá e o mesmo Grabauska. O lançamento deste segundo livro foi acompanhado de um documentário de uma hora e meia de duração, produzido pela Mainquest em parceria com O Bairrista, que trouxe fotos, vídeos, áudios e depoimentos de então atuais e ex-integrantes dos debates.



Falar no "Sala" é também falar na música do "Sala". Há muitas décadas sua histórica e excepcional trilha sonora é "Menina Certinha", lançada em 1964 no álbum "Impulso!" pelo super grupo Os Catedráticos, que faria preciosidades do samba jazz a partir da união de Eumir Deodato (há quatro décadas e meia radicado nos Estados Unidos), Geraldo Vespar, Dom Um Romão, Ivan "Mamão" Conti e Wilson das Neves - que, numa dessas coincidências da vida, também nasceu em um 14 de junho, mas em 1936, trinta e cinco antes do programa estrear.



Mas você sabia que existe uma versão do tema composto por Durval Ferreira e Luiz Fernando Freire não só com música, mas também com letra? Pois é. E é a original, lançada em 1963 por Os Cariocas.

Torneios de futebol, todas as modalidades e variedades não-esportivas.

Destaques da imprensa esportiva. O que acontece em TV, rádio, jornal e web.

Podcasts com pitacos sobre os esportes e outros registros interessantes.

Convidados escrevem sobre temas de agora no futebol e em todos os esportes.

Para entender o presente, é preciso conhecer o passado. Aqui se faz isso.

Teste de conhecimentos com direito a charadas e perguntas "pega-ratão".

Verde para o bom, vermelho para o ruim e amarelo para chamar a atenção.

Gente do esporte dá dicas de livros, filmes, música, culinária e mais.