Desde 02/06/2003 Criação, produção e edição: Edu Cesar


papodebola@gmail.com


papodebola


sitepapodebola


edupapodebola


(51) 99843-7700

SOBRE ESTA SEÇÃO
Imagens que marcaram época, sons inesquecíveis, personagens que fizeram história. Para entender o presente, é preciso conhecer o passado. Aqui, recordar é mais do que viver. É saber, é contextualizar, é rememorar. Viaje no tempo.
 
LEIA AQUI as colunas anteriores
 
Segunda, 3 de fevereiro de 2020
Alexandre Mota na Record RS

O jornalista deixou a filial gaúcha depois de 12 anos e continuará na rede, mas agora na afiliada TV Vila Real de Cuiabá, cidade que conhece muito bem pois nela chegou na metade dos anos 90, egresso da reportagem das rádios CBN e Cultura em Santos, para sair no começo da década de 2000, transferido que fora para a matriz de SP. Na primeira estadia no Mato Grosso, ficou pouco mais de 3 anos na TV Cidade Verde (SBT) como repórter do "Aqui Agora" e mais 4 na TV Gazeta (depois chamada Record a partir de 2007 até 2017, quando se tornou Vila Real), onde apresentou o programa policial "Cadeia Neles" e o noticiário geral "MT Record".

Mota foi repórter da TV Bandeirantes em São Paulo por menos de meio ano até o início de 2008, quando foi transferido para Porto Alegre e assumiu o "Balanço Geral RS" no lugar de Luiz Carlos Reche, seu primeiro âncora. Nestes 12 anos, ele imprimiu uma marca única na televisão gaúcha, misturando comentários duros e extremamente críticos com um jeito gozador e divertido. Diversos apresentadores de estilo semelhante vieram depois, mas nenhum atingiu a mesma popularidade e o mesmo alcance - e nem mesmo o nível de "ame-o ou o deixe-o" - de Alexandre, que se tornou o "carro-chefe" da Record porto-alegrense. E um pouco disso é recordado a seguir.

Em 2008, sua chegada fez o "Balanço" deixar de ser um telejornal na linha do "Jornal do Almoço", da RBS, para se tornar um programa de histórias e curiosidades, alinhado ao que Geraldo Luís fazia em SP. Dentro deste contexto estava esta participação do repórter irreverente Antônio Sacomory, que mostrou um número de mágica.



Uma marca do programa com Mota à frente foi sua interação constante no ar com a equipe de produtores e editores. Estes, quando podiam, tiravam onda com ele, como neste VT de 2010, no qual colocaram gordinhos dançando e ele fazendo o mesmo em vários momentos, com direito a arte e tudo. A repórter Kellen Caldas caiu na risada.



Nessa altura, o "Balanço Geral RS" já havia voltado a ser noticioso e com estilo popular mais próximo a similares nacionais como o "Cidade Alerta", para ficar dentro da própria Record, algo que as demais emissoras não faziam por todas seguirem o modelo tradicional. Um trecho que exemplifica isso muito apropriadamente é este também de 2010, no qual Mota "chorou" pela morte de um bandido que trocou tiros com a Brigada Militar e, logo em seguida, sambou de alegria por outro meliante ter ficado ferido, desejando que ele parasse logo no inferno.



As críticas do apresentador não ficavam apenas nas pautas policiais, mas também nas comunitárias. De 2012, eis seu comentário após uma matéria de Amanda Silva sobre famílias desabrigadas na capital e em Viamão.



Não foram poucas as vezes em que Mota explodiu quase que literalmente. Uma dessas aconteceu em 2013, depois de uma reportagem de Voltaire Porto sobre um senhor de Alvorada que teve uma consulta médica marcada 10 anos depois de morrer. O âncora derrubou a mesa, chutou um balde e arrancou fora a gravata.



Uma hora, a conta seria cobrada. Perto do Natal de 2014, ele passou mal no ar, tendo uma crise de labirintite. A repórter Vanessa Pires e, depois, o improvisado apresentador Rafael Machado seguraram as pontas.



Em 2015, Alexandre teve que sair do "Balanço" bem antes do encerramento pois tinha de ir no Fórum de Porto Alegre depor em razão de um processo que estava sofrendo. Vanessa Pires passou a apresentar a partir dali.



No mesmo ano, o programa da Record começou a ser transmitido em alta definição. Trechos do primeiro em HD 16:9, em 27 de abril, estão aí e neles são vistos Vanessa Pires, Matheus Felipe e a "venenosa" Mônica Fonseca.



Em 2018, o "Balanço Geral" ganhou uma edição matinal local, que substituiu a nacional no horário. Mota apresentou as primeiras semanas dela. Mas o término retrocede para 2011 e traz uma entrevista do ganhador do Prêmio Press de 2009 como melhor apresentador de TV do RS e do Top of Mind da revista Amanhã como comunicador local de TV em 2019. Ela foi dada para o "Rogério Amaral Entre Amigos", programa de entrevistas do Canal 20 da Net.

Torneios de futebol, todas as modalidades e variedades não-esportivas.

Destaques da imprensa esportiva. O que acontece em TV, rádio, jornal e web.

Podcasts com pitacos sobre os esportes e outros registros interessantes.

Convidados escrevem sobre temas de agora no futebol e em todos os esportes.

Para entender o presente, é preciso conhecer o passado. Aqui se faz isso.

Teste de conhecimentos com direito a charadas e perguntas "pega-ratão".

Verde para o bom, vermelho para o ruim e amarelo para chamar a atenção.

Gente do esporte dá dicas de livros, filmes, música, culinária e mais.