Desde 02/06/2003 Criação, produção e edição: Edu Cesar


papodebola@gmail.com


papodebola


sitepapodebola


edupapodebola

SOBRE ESTA SEÇÃO
O editor Edu Cesar comenta os resultados dos campeonatos de futebol e o dia-a-dia dos clubes. Destaque para o que de principal ocorre em todas as modalidades e ainda os tópicos não-esportivos "Sintonia PB", "Clipe do Dia" e "Bela do Dia".
 
LEIA AQUI as colunas anteriores VEJA AQUI as "Belas do Dia" anteriores
 
Terça, 10 de agosto de 2021
Colocando em dia assuntos de sexta-feira para cá

Os últimos destaques dos Jogos Olímpicos de Tóquio

Um dos mais lindos nocautes que já vi E juro: não há patriotada no que digo. Em mais de três décadas acompanhando boxe, do qual admito ter ficado bem distante há uns quantos anos até pelo boxe em si ter perdido espaço demais aqui no Brasil no segmento de lutas para o MMA (especialmente o UFC), poucas vezes vi uma bomba tão bem dada quanto a do Hebert Conceição, que só assim impediria o ouro de parar no pescoço do ucraniano Oleksandr Khyzhniak, cujo ouvido deve estar dando "ocupado" até agora e cuja derrota foi apenas a primeira depois de 62 combates nos últimos cinco anos - quando é pra ser, é, já diria minha saudosa avó. Com a conquista na categoria até 75 kg, ele tornou-se o segundo pugilista brasileiro dourado, reprisando Robson Conceição na Rio 2016.

Braço forte, mão amiga, sorriso dourado Senhor das águas, Isaquias Queiroz mostrou ser um ao ganhar o C1 mil metros na canoagem velocidade com quatro minutos, quatro segundos e 408 centésimos. Vitória sensacional para atingir quatro medalhas olímpicas, somado este ouro às duas pratas e ao bronze na Rio 2016. Lá em cima, Jesus sorri. Abençoado Isaquias pelo saudoso treinador Jesus Morlan, que nos deixou em 2018.

Futebol masculino é bicampeão Vitória emocionante do Brasil sobre a Espanha por 2 x 1, necessária de prorrogação para nela Malcom decidir com o tento decisivo em indefensável patadaço. Richarlison não foi bem nesta decisão e perdeu um pênalti no tempo normal, mas recuperou totalmente o crédito com uma bela carta dedicada à torcida em suas redes sociais após o jogo, além de brincar na entrega das medalhas com o presidente da FIFA, Gianni Infantino, dizendo que "ano que vem é no Catar, hein, careca!". Os espanhóis completaram 25 anos sem títulos olímpicos coletivos e a conquista de Barcelona 1992 foi a última do futebol europeu nos Jogos. A primeira conquista brasileira fora do país desde a Copa das Confederações de 2009, na África do Sul, foi a 5ª do nosso futebol em Yokohama depois do penta de 2002 e dos Mundiais de São Paulo em 2005, Internacional em 2006 e Corinthians em 2012.

A medalha "de lata" veio do futebol Os jogadores do Brasil colocaram na cintura os agasalhos do Comitê Olímpico Brasileiro, mantendo em destaque as camisas de jogo. A questão comercial ditou o tom: a CBF teve exposto seu patrocinador Nike, enquanto escondido ficou o do COB, a Peak. Por isso, a entidade pretende acionar judicialmente a Confederação, que deu seu jeitinho de fazer seu parceiro (só "parceiro"?) aparecer. Enfim, mais uma palhaçada dos comandantes do futebol brasileiro, lastimavelmente endossada num discurso patético do Daniel Alves, que tinha que ficar marcado só positivamente pelo 42º título na carreira e por tornar-se o futebolista masculino mais velho a faturar uma medalha (38 anos e 93 dias), mas que também fica marcado negativamente por palavras fora da casinha.

Sábado foi a primeira vez nesta indústria vital A primeira vez que o Brasil conquistou três medalhas de ouro em um mesmo dia (futebol masculino, canoagem com Isaquias e boxe com Hebert). O máximo antes disso tinha sido duas em 24 horas, tanto em 29 de julho de 1980 quanto em 18 de agosto de 2016. Um dia para a eternidade.

A prata de Bia Ferreira no boxe Uma luta muito pegada na categoria até 60 kg, mas ela ficou com a prata ao ser superada por pontos pela irlandesa Kellie Anne Harrington, que é faxineira meio-período em um hospital de Dublin.

Uma prata e nada mais no vôlei Foi a das gurias da quadra, derrotadas por 3 x 0 pelos EUA, que fizeram o "jogo da vida" pois tinham perdido para as nossas em Pequim 2008 e Londres 2012, fora que nunca tinham faturado um ouro olímpico. Desfalcadas da pega no antidopagem Tandara, as brasileiras não jogaram bem, é verdade, mas elas ainda têm crédito comigo de alguma maneira. Destaques para Carol Gattaz, que recém disputou seus primeiros Jogos na carreira e tornou-se a medalhista brasileira mais experiente aos 40 anos, acima dos 38 da dourada Fofão de 2008 - nos homens, o mais velho é Torben Grael em Atenas 2004. Duas jogadoras se aposentaram: Camila Brait da seleção e Fernanda Garay do esporte em si. Por outro lado, os homens foram mal nos 3 x 2 para a Argentina do Marcello Mendez, campeoníssimo pelo Sada/Cruzeiro e que ficou com o bronze. Esses, sim, perderam o crédito.

Terá a CBV autocrítica para melhorar até Paris? Entre quadra e praia, o vôlei do Brasil ganhou apenas essa prata e nada mais. Na praia, então, um negativismo inédito em 25 anos olímpicos da modalidade.

Prêmios do COB aos medalhistas R$ 4,6 milhões distribuídos assim: R$ 500 mil rachados entre as douradas Martine Grael e Kahena Kunze; R$ 250 mil para os dourados Ítalo Ferreira, Rebeca Andrade, Ana Marcela Cunha, Hebert Conceição e Isaquias Queiroz; R$ 750 mil rachados entre os futebolistas dourados; R$ 450 mil rachados entre as voleibolistas prateadas; 150 mil para os prateados Bia Ferreira, Rebeca Andrade, Pedro Barros, Kelvin Hoefler e Rayssa Leal; R$ 100 mil para os bronzeados Bruno Fratus, Fernando Scheffer, Alison dos Santos, Thiago Braz, Daniel Cargnin, Mayra Aguiar e Abner Teixeira; e R$ 200 mil rachados entre as bronzeadas Laura Pigossi e Luísa Stefani.

O primeiro evento pós-bronze olímpico Medalhista no tênis na dupla improvável com Laura Pigossi, Luísa Stefani ficou neste domingo com seu 4º vice-campeonato na temporada ao, junto da canadense Gabriela Dabrowski - com quem forma duo devido à lesão da parceira anterior, a americana Hayley Carter -, perder o WTA de San Jose para a croata Darija Jurak e a eslovena Adreja Klepac por 2 sets a 0 (6/1 e 7/5).

Norte-americanas invencíveis no basquete feminino Sétimo ouro consecutivo, 55ª vitória consecutiva, 29 anos de invencibilidade olímpica. 90 x 75 sobre o anfitrião Japão, que tem que celebrar demais essa prata porque era o máximo que qualquer adversário das craques da WNBA permitiriam ser alcançado. As mulheres igualaram o recorde de conquistas dos homens, sete vezes dourados consecutivamente de Berlim 1936 até Cidade do México 1968.

Ouro nelas e, claro, ouro neles também Os basquetebolistas ianques, no entanto, não tiveram vida fácil pois até os momentos finais a França fungou alucinadamente em seus cangotas, 87 x 82 o placar final. Um destaque para JaVale McGree, que conseguiu em Tóquio o que sua mãe Pamela McGee obteve em Los Angeles 1984: o ouro.

Maratona consagrou Eliud Kipchoge Ou "Kipshow", já que o queniano é um show de maratonista e repetiu não em Tóquio devido à alta taxa de umidade e sim em Sapporo a conquista de cinco anos atrás no Rio de Janeiro ao fechar em duas horas, oito minutos e 38 segundos, muito na frente dos demais. Nem por isso faltou emoção pois o compatriota Lawrence Cherono estava com a prata nas mãos até pertinho do fim, mas nos metros finais foi superado pelo holandês Abdi Nageeye e pelo belga Bashir Abdi, que são compatriotas, nascidos que são na Somália.

Não teve dobradinha com eles, mas teve com elas Ouro e prata para o Quênia na maratona feminina, Peres Jepchirchir no topo com duas horas, 27 minutos e 20 segundos. Brigid Kosgei e a ianque Molly Seidel depois.

Essa holandesa é tri! Sifan Hassan tornou-se a primeira competidora com três pódios nas três provas de fundo do atletismo em uma mesma Olimpíada: ouro nos 10 mil e nos 5 mil metros e bronze nos 1.500 metros.

Andy Cruz foi "Bad" Após conquistar o ouro no peso leve contra o estadounidense Keyshawn Davis, o boxeador cubano mandou ver no bailado a la Michael Jackson. Só não tirou nota 10 pois faltou o "moonwalk".

A última medalha de ouro Foi conquistada pela Sérvia, bicampeã do polo aquático masculino, 13 x 10 na Grécia.

Quadro final de medalhas No último dia, os EUA assumiram a liderança não só no total, mas também nos ouros ao somarem 39, além de 41 pratas e 33 bronzes (113 totais). A China veio em seguida com 38 ouros, 32 pratas e 18 bronzes (88 totais). O anfitrião Japão fechou o pódio com 27 ouros, 14 pratas e 17 bronzes (58 totais). O Brasil terminou na 12ª posição com sete ouros, seis pratas e oito bronzes (21 totais), melhor campanha da história. Dos 220 países representados, 93 faturaram ao menos uma medalha que fosse, oito deles papando uma única de bronze: Botswana, Burkina Faso, Costa do Marfim, Gana, Granada, Kuwait, Moldávia e Síria.

Processa mesmo esse idiota, CBAt! A entidade promete fazê-lo contra Adrilles Jorge, que vomitou na semana passada uma fala imbecil no "Pânico" da Rádio Jovem Pan ao se referir ao atleta do arremesso de peso Darlan Romani, chamando a modalidade de "esporte de merda" e "uma porcaria dessa" que "ninguém quer assistir". Brabo que gente baixa e rasteira assim tenha um amplo espaço para despejar safadezas de tal naipe.

Olimpíada e o coronavírus O último dia dos Jogos teve 4.066 novos casos da doença registrados em Tóquio, que por cinco dias seguidos tem mais de quatro mil novos registros. Não há como negar que a realização do evento, de quaisquer formas possíveis, teve relação com isso: no 23 de julho da abertura, foram 1.359 casos.

Brasil passou batido, quem diria, hein? Houve 436 casos de credenciados nestes Jogos, sendo 33 de atletas e 150 de estrangeiros. Nenhum, por incrível que pareça, foi nosso. Não deixa de ser extremamente chamativo, ainda mais que a vacinação não era obrigatória por parte da organização do evento (deveria ser, aliás) e que tivemos o péssimo exemplo do Gabriel Medina, que perdeu uma etapa do Mundial de Surfe porque não se vacinou "a tempo" (arrã, "a tempo") e depois tentou limpar sua barra ao perceber a horrível e justificada repercussão disso.

Tóquio ainda tem mais emoções pela frente A partir do dia 24 e até 5 de setembro (onze dias antes do meu aniversário de 40 anos, mas isso não vem ao caso), teremos os Jogos Paralímpicos, nos quais também teremos brasileiros a nos representar, o mais especial sendo o craque nadador Daniel Dias em seu ciclo derradeiro.

Destaques do Campeonato Brasileiro

A 15ª rodada marcou a tomada da liderança pelo Atlético Mineiro no exato dia em que o início da primeira passagem de Cuca como treinador completou 10 anos. O Juventude saiu na frente, mas o Galo virou para 2 x 1 nos minutos finais para chegar às oito vitórias consecutivas, ineditismo nos pontos corridos por algo obtido apenas e tão somente no 1977 do vice-campeonato e em 1986. O Papo não perdia em casa havia cinco partidas.

Para isso acontecer, foi fundamental a derrota do Palmeiras por 3 x 2 para o Fortaleza, que saiu perdendo, virou, cedeu o empate e, mesmo com Wilton Pereira Sampaio tentando - e quase conseguindo - estragar o ótimo jogo com duas expulsões (uma de cada lado) absurdas, desempatou a 20 segundos do fim num gol marcado pela excelência e pela persistência do Ederson, que correu pra não deixar a bola sair e fez um lançamento extraordinário para Yago Pikachu tocar para trás e Igor Torres finalizar. Foi a terceira vitória tricolor sobre os alviverdes em SP, reprisando o 1 x 0 de 14 de março de 1984 e os 2 x 1 de 17 de julho de 2005. Dos outros cinco primeiros colocados, o time de Juan Pablo Vojvoda derrotou Atlético Mineiro, Red Bull Bragantino e agora Palmeiras, só perdendo pro Flamengo.

Flamengo, que esteve num dos maiores "dias não" recentes, enquanto o Internacional estava num "dia sim" pra lá de espetacular para um surpreendente 4 x 0 com trinca do Yuri Alberto e um golaço que foi o primeiro pós-retorno do Taison, cujo tento derradeiro na passagem inicial tinha sido justamente sobre os rubro-negros, num 1 x 0 de 25 de julho de 2010. Ele, que comemorou o gol com punho cerrado em sinal de combate ao racismo, algo que decidiu fazer após muito sofrer com isso na Ucrânia. Maior vitória colorada sobre os cariocas fora de casa, primeira desde 2015 e maior derrota flamenguista no Maracanã em Brasileiros para um time de outro estado na história, atrás no geral apenas dos 6 x 1 do São Paulo na Ilha do Governador em 2005 e dos 6 x 0 do Botafogo em 1972. Primeira derrota com Renato na casamata, o time não perdia por quatro de diferença desde os 4 x 0 do Galo em novembro de 2020.

Os dois cariocas da elite perderam, o Fluminense perdeu a terceira seguida ao sofrer 1 x 0 do América Mineiro, que poderia ter trincado não fossem duas chances incríveis perdidas pelo Chrigor, uma delas na cara do Marcos Felipe tão, mas tão perdida que nem no XVideos se encontra algo tão indecente assim (e olha que indecência é o que não falta no XVideos...). O golaço da tarde veio antes do primeiro trilar de apitante, quando jogadores dos dois times se ajoelharam e cerraram o punho em referência ao movimento "Consciência Negra Todo Dia", liderado pelo Coelho e alusivo ao qual é o novo terceiro uniforme, positivo pelo que representa e positivo no campo por estreado com vitória.

Enquanto isso, o São Paulo ganhou do Athletico Paranaense por 2 x 1 com dobra do Pablo, em "lei do ex". O time principal do Furacão não perdia na Arena da Baixada desde o 1 x 0 do Atlético Mineiro em 12 de dezembro de 2020. Arena, onde por 19 anos a partir da inauguração o Tricolor não ganhara uma única vez sequer. Agora, tem três vitórias nas últimas quatro visitas de 2018 para cá - e a outra não foi perdida e sim empatada.

Quatro foram os empates desta rodada, com bola na rede só Cuiabá 1 x 1 Bahia, que marcou o retorno dos baianos à capital de Mato Grosso pela divisão principal mais de 38 anos depois da derrota pro Mixto em 30 de janeiro de 1983. Os outros foram todos 0 x 0: Ceará x Atlético Goianiense, que aumentou para 11 partidas a invencibilidade do Vozão, embora não tão representativa assim porque sete delas foram empatadas; Santos x Corinthians, marcado pelas anulações após revisão no vídeo de um gol e de um pênalti pro Timão; e Sport x Red Bull Bragantino, este não mais contando com o campeão olímpico Claudinho no elenco, vendido que foi pro russo Zenit.

O desfecho foi com Grêmio 2 x 1 Chapecoense, que finalmente estabeleceu a primeira vitória tricolor na Arena nesta temporada, embora não sem sofrimento pois necessária foi a virada do placar, consumada numa penalidade máxima cobrada pelo estreante Borja. O rebaixamento está cada vez mais eminente pro Verdão do Oeste.

Vencidas 15 rodadas, a classificação está assim (*partida a menos): em 1º, Atlético Mineiro com 34; em 2º, Palmeiras com 32; em 3º, Fortaleza com 30; em 4º, Red Bull Bragantino; em 5º, Flamengo** com 24; em 6º, Athletico Paranaense* e Ceará com 23; em 8º, Santos e Atlético Goianiense com 20; em 10º, Bahia, Internacional e Corinthians com 18; em 13º, Fluminense* com 17; em 14º, Juventude* com 16; em 15º, Sport e São Paulo com 15; em 17º, América Mineiro e Cuiabá* com 14; em 19º, Grêmio** com 10; e em 20º, Chapecoense com 4.

Destaques da Série B do Campeonato Brasileiro

A 16ª rodada teve Vitória 0 x 1 Vasco (jogo parado por uma hora a partir dos 17 minutos do 1º tempo devido a uma chuvarada), Botafogo 2 x 0 Ponte Preta (4ª vitória seguida do Fogão), Guarani 2 x 0 Brasil, Coritiba 1 x 1 Goiás (Coxa prejuicadíssimo pela arbitragem), Náutico 0 x 4 Confiança (o Timbu não perdia nos Aflitos desde os 2 x 0 da Ponte Preta em 12 de outubro de 2020, não tomava quatro gols em casa desde os 4 x 2 do próprio Dragão na Série C em 5 de maio de 2018 e não tomava quatro de diferença como mandante desde os 5 x 1 do Sport pelo Pernambucano em 18 de abril de 1993), Vila Nova 0 x 2 Sampaio Corrêa, Londrina 0 x 2 CRB, Remo 0 x 1 Operário, Brusque 1 x 2 Cruzeiro (fim da seca de nove jogos na volta de Vanderlei Luxemburgo) e CSA 0 x 0 Avaí.

Passadas 16 rodadas e felizmente sem mais nenhum asterisco, eis a classificação: em 1º, Náutico e Coritiba com 30; em 3º, CRB com 28; em 4º, Goiás e Avaí com 27; em 6º, Sampaio Corrêa e Guarani com 26; em 8º, Botafogo e Vasco com 25; em 10º, Brusque e Operário com 24; em 12º, CSA e Remo com 19; em 14º, Vila Nova com 18; em 15º, Cruzeiro com 16; em 16º, Confiança, Vitória, Ponte Preta e Londrina com 13; e em 20º, Brasil com 12.

Destaques da Série C do Campeonato Brasileiro

A 11ª rodada do Grupo A teve Botafogo da Paraíba 2 x 1 Paysandu, Manaus 1 x 0 Volta Redonda, Floresta 0 x 2 Santa Cruz (incrível, mas verídico: o Santinha voltou a ganhar uma partida depois de 13 fracassos consecutivos após os 3 x 2 que anotou sobre o Retrô no longínquo e distante 28 de abril), Tombense 3 x 0 Jacuipense e Altos 1 x 1 Ferroviário. Classificação: em 1º, Botafogo com 19; em 2º, Manaus, Tombense, Voltaço e Ferroviário com 17; em 6º, Paysandu com 16; em 7º, Altos com 13; em 8º, Floresta com 11; em 9º, Jacuipense com 10; e em 10º, Santa com 6.

Já a 11ª rodada do Grupo B, mais dentro da normalidade, teve Ypiranga 1 x 0 Mirassol, Novorizontino 0 x 0 Ituano, Criciúma 2 x 1 São José, Botafogo de Ribeirão Preto 1 x 0 Paraná e Oeste 2 x 1 Figueirense. Classificação: em 1º, Ypiranga com 23; em 2º, Novorizontino, Ituano e Criciúma com 20; em 5º, Botafogo com 19; em 6º, Mirassol e Figueirense com 13; em 8º, São José com 11; em 9º, Paraná com 9; e em 10º, Oeste com 6.

Outros destaques das rodadas do futebol

Campeonato Carioca Série A2 Duque de Caxias rebaixado para a Série B1 ao perder pro America por 1 x 0. Em uma década, de clube da segunda divisão brasileira para clube da terceira divisão fluminense.

Supercopa da Inglaterra Leicester campeão, 1 x 0 no Manchester City aos 43 minutos do segundo tempo.

Troféu Joan Gamper No primeiro jogo após a saída do Messi, o Barcelona fez 3 x 0 na Juventus.

Campeonato Francês Atual campeão, o Lille estreou num 3 x 3 com o Metz, empatando aos 52 minutos da etapa final depois de ter desvantagem de 3 x 1 até os 36. Novo clube do Messi, o Paris Saint Germain derrotou o Troyes por 2 x 1. E na estreia oficial do Gerson, o Olympique venceu fora de casa o Montpellier por 3 x 2.

Campeonato Português A 1ª rodada teve Porto 2 x 0 Belenenses, Moreirense 1 x 2 Benfica e Sporting 3 x 0 Vizela.

Campeonato Argentino A 5ª rodada teve como destaques Boca Juniors 1 x 1 Argentinos Juniors (acabou a seca de 599 minutos sem gol dos Xeneizes, ainda que com gol contra) e Godoy Cruz 2 x 1 River Plate.

Curtinhas Esportivas

Quartas-de-final da Copa do Brasil Uma semifinal sairá de Santos x Athletico Paranaense e Flamengo x Grêmio, a outra saindo de Fortaleza x São Paulo e Atlético Mineiro x Fluminense. Jogos de volta mandados por Peixe, Mengão, Leão do Pici e Galo nas datas-base de 25 de agosto e 1º de setembro.

Só quero ver quem terá convocados para essa "tripleta" Para ficar rigorosamente em dia com as mensalidades do Baú da Felicidade, as Eliminatórias Sul-Americanas terão rodadas não duplas e sim triplas de jogos em setembro e outubro para compensar as duas de março que foram adiadas. O Brasil, por exemplo, visitará o Chile em 2 de setembro e receberá a Argentina no dia 5 e o Peru no dia 9. Quero ver manter o Brasileirão nesse cenário.

Liga de Basquete Feminino A finalíssima terá o Ituano, que derrotou o Vera Cruz Campinas por 76 x 49, contra o Blumenau, que aplicou 84 x 79 no Sampaio Corrêa. Ambos fecharam as semis melhor-de-três em 2 x 0.

Fórmula Indy com um vencedor pra lá de improvável Num caótico estreante GP de Nashville, um ganhador que, depois de passar pelo que passou, quem poderia imaginar que venceria? Antes ainda da primeira de duas bandeiras vermelhas, Marcus Ericsson decolou com "DE" maiúsculo, como diriam Carolina Ferraz e Eduardo Ribeiro, ao encher com tudo a traseira da caranga do Sébastien Bourdais. Incrivelmente, Ericsson teve apenas a asa dianteira de seu bólido estragado, ao passo que Bourdais precisou abandonar. Scott Dixon ficou em 2º e James Hinchcliffe em 3º. Alex Palou continua na liderança com 410 pontos contra 368 do Dixon e 362 do Pato O'Ward.

Sintonia PB

Começa o tópico desta "24 Horas" que está antenado no que ocorre fora dos esportes. Às novidades:

Gugu Streit estreou na RBS TV Agora na 92 FM de Porto Alegre depois da transformação da Rádio Farroupilha em exclusivamente virtual após o fim da transmissão em AM, o comunicador passou a participar do jornal "Bom Dia Rio Grande" às segundas, quartas e sextas com o quadro de iniciativas solidárias "Ajuda Rio Grande", que já existia, mas que ganha uma cara nova com a presença dele, que tem neste terreno um de seus alicerces há décadas.

"Jornal do Almoço" novamente local no interior Retomados nesta segunda os segmentos regionais do noticiário de meio-dia da RBS TV apresentados por Shirlei Paravisi em caxias do Sul, Patrícia Porciúncula em Pelotas, Vanessa Backes em Santa Maria, Maiara Medina em Santa Cruz do Sul e Mateus Rodiguero em Passo Fundo. Há um ano e cinco meses, todos eles têm participado de casa diariamente para todo o estado com a Cristina Ranzolin.

Mudanças em breve na Record Bahia Serão oficializadas em alguns dias e delas sei pelo Gabriel de Oliveira no TV Pop, a principal envolvendo o "Balanço Geral BA", que terá atendido um pedido de José Eduardo "Bocão" para ficar no ar em apenas duas de suas três horas e meia de duração, das 11h50 às 13h50, com a hora e meia restante sendo comandada por Adelson Carvalho, que deixará o "Cidade Alerta Bahia", no qual será sucedido por Jéssica Smetak, cuja substituta no matinal "Bahia no Ar" será a repórter e até agora sua reserva imediata Tiale Acrux.

Record News tapou o logo da Record... ué? Aconteceu na reprise do "Domingo Espetacular" no fim da noite, programa mostrado com a mesma imagem exibida pela emissora principal, com o logo dela na tela, tanto o d'água quanto o colorido de "ao vivo" e de "exclusivo" (esse último, aliás, banalizadíssimo há tempos)... até um determinado momento, quando voltou dos comerciais e simplesmente taparam com efeito borrado "blur" o logo. Eu, hein?

Celso Freitas de volta ao "Jornal da Record" nesta segunda Esperam ele e o público que desta vez para valer a retomada da dupla com Christina Lemos, diferentemente de outubro do ano passado, quando isso aconteceu, mas a pandemia apertou de novo e o teletrabalho voltou a ser necessário para preservá-lo, daí Luiz Fara Monteiro substituí-lo.

Tragédia: assassinado namorado de repórter da TV Bandeirantes Letícia Gil, do "Brasil Urgente", perdeu o namorado Luciano Bezerra, professor de jiu-jitsu que foi assassinado em São Paulo. Ela ficará fora do trabalho por alguns dias e recebeu no ar a solidariedade de um abalado José Luiz Datena.

Cecília Malan de volta à redação da Globo em Londres Retorno ocorrido nesta segunda após um ano e quatro meses de trabalho somente de casa com exceção recente a algumas brevíssimas externas após liberações permitidas na Inglaterra. A redação britânica já foi revista nesta manhã no "Hora 1" e no "Bom Dia Brasil".

Finalmente estreou "Nos Tempos do Imperador" Escrita por Alessandro Marson e Thereza Falcão, a nova novela das seis da Globo deveria estrear em março do ano passado, mas a pandemia a atrasou consideravelmente. Estrelada por Selton Mello, Mariana Ximenes e Letícia Sabatella, continuará a trama de "Novo Mundo" e sucederá a reprise de "A Vida da Gente", terminada na sexta-feira com uma emocionante homenagem póstuma à eterna Nicette Bruno.

Globo estreia um novo programa musical É "O Cantor Mascarado", que me recusarei a chamar neste PB pelo nome fajuto "The Masked Singer Brasil", já que o formato de descobrir quem está cantando atrás da fantasia vestida é mais velho que andar para a frente e para trás, popularizado que foi por Chacrinha ainda nos anos 60. Ivete Sangalo na apresentação da nova atração das terças-feiras. "Masked Singer Brasil"... um baaahhh!!! para isso.

Marcos Mion nos sábados da Globo a partir de setembro O apresentador ex-Record, Bandeirantes e MTV está de volta à emissora após 21 anos e assumirá até dezembro a apresentação do "Caldeirão" a partir da mudança de Luciano Huck para os domingos no dia 5 do referido mês, com sua estreia no dia anterior (mas pode chamar de dia 4 que dá no mesmo). Um destaque confirmado para a atração é o quadro "Isto a Globo Mostra", que será nada mais que o famoso quadro de vídeos com comentários debochados que chamou-se "Pérola Videoclíptica" do inesquecível "Piores Clipes do Mundo" e "Vale a Pena Ver Direito" no "Legendários". Ele também terá um programa no Multishow.

Documentário sobre Silvio Santos Com mais de duas horas de duração, foi ao ar neste domingo depois de seis anos engavetado, dirigido que foi por Leonor Corrêa com vistas aos 85 anos que ele completaria em 2016 - somente agora a exibição foi autorizada, mais para marcar os 40 anos do SBT na falta de outras festividades com mais pompa e circunstância. O trabalho reuniu um sem-número de depoentes, alguns deles já falecidos, como Gugu Liberato, Wagner Montes e Paulo Barboza, e foi preservado exatamente como realizado inclusive com créditos hoje desatualizados, como numa sonora da então presidente Dilma Rousseff. A produção foi disponibilizada no YouTube, mas incompleta pois diversos trechos foram retirados por questão de direitos autorais referentes à internet.

Luto em Hollywood: morreu Markie Post Vitimada por um câncer aos 70 anos no sábado, a atriz teve dois trabalhos muito conhecidos aqui no Brasil em épocas bem distintas: a Terri Michaels da série "Duro na Queda" do 2º até o 4º ano entre 1982 e 1985; e mais recentemente, a recorrente Bunny Fletcher da série "Chicago P.D. - Distrito 21" do 2º até o 4º ano entre 2014 e 2017, personagem que só saiu pois era mãe da detetive Erin Lindsay e, com a saída da Sophia Bush da produção, não havia sentido manter Bunny sem Lindsay na trama. Outra personagem de sucesso da Markie foi a defensora pública Christine Sullivan na série "Night Court", produzida de 1984 até 1992 e que no Brasil a Sony exibiu com som original e sem legendas na segunda metade da década de 90. Já no cinema, ela fez a mãe da protagonista interpretada pela Cameron Diaz na comédia "Quem Vai Ficar com Mary?".

E fique antenado! "Sintonia PB" continua de olho no que ocorre fora dos esportes e retorna na próxima coluna.

Datas em 0 ou 5

É um hábito desta "24 Horas" de bastante tempo e que será mantido aqui ao observar datas importantes que completam 5, 10, 25, 40, 65, 100 anos, enfim, sempre em 0 ou 5 pois é como consigo me organizar melhor. As da segunda, 9 de agosto, foram estas:

*90 anos ao dobrado: de Zagallo, ex-futebolista campeão por Brasil (Copas do Mundo de 1958 e 1962), Flamengo (uma Taça dos Campeões Estaduais RJ/SP e três Cariocas) e Botafogo (dois RJ/SP, uma Taça dos Campeões Estaduais RJ/SP e dois Cariocas) e como treinador por Brasil (Copa do Mundo de 1970, Copa das Confederações de 1997 e Copa América de 1997), Flamengo (Copa dos Campeões de 2001 e dois Cariocas), Fluminense (um Carioca), Botafogo (Taça Brasil de 1968 e dois Cariocas), Al-Hilal (Saudita de 1979) e Arábia Saudita (Copa da Ásia de 1984), além de coordenador técnico do Brasil campeão mundial de 1994; e do nascimento de Gioia Júnior, falecido em 1996 e uma vez deputado estadual em SP e três vezes deputado federal, além de primeiro apresentador de "O Pulo do Gato", da Rádio Bandeirantes, nas duas primeiras semanas dele em 1973.

*85 anos do nascimento de Roberto Civita, falecido em 2013 e ex-diretor editorial do Grupo Abril e ex-editor da revista Veja.

*70 anos de Lico, ex-futebolista campeão por Figueirense (um Catarinense), Joinville (dois Catarinenses) e Flamengo (Intercontinental e Libertadores de 1981, Brasileiros de 1982 e 1983, mais um Carioca).

*65 anos de Fafá de Belém, cantora de grande sucesso e atriz nas novelas "Caminhos do Coração", da Record, e "A Força do Querer", da Globo.

*45 anos de Audrey Tautou, atriz de filmes como "O Fabuloso Destino de Amélie Poulain" e "O Código da Vinci".

*40 anos ao dobrado: de Léo Saballa Jr., apresentador do "Bom Dia Rio Grande" na RBS TV e ex-repórter da Rádio Gaúcha; e da estreia do "Som Brasil", programa musical da TV Globo apresentado primeiro por Rolando Boldrin e depois por Lima Duarte até 1989.

As desta terça, 10 de agosto, são estas:

*100 anos do nascimento de Lucas Miranda, ex-futebolista falecido em 2006 e seis vezes campeão mineiro pelo Atlético nas décadas de 40 e 50, sendo o 5º maior artilheiro do clube com 152 gols.

*65 anos do saxofonista Léo Gandelman.

*60 anos de Jon Farriss, baterista da banda INXS.

Bela do Dia: Carolina Miarelli

Carolina Miarelli, bailarina e ex-integrante do "Domingão do Faustão" na Globo, onde também foi repórter de palco.

*50 anos ao dobrado: de Roy Keane, ex-futebolista campeão por Nottingham Forest (uma Copa dos Membros Ingleses), Manchester United (Intercontinental e Liga dos Campeões de 1999, sete Ingleses, quatro Copas e quatro Supercopas da Inglaterra) e Celtic (um Escocês e uma Copa da Liga Escocesa); e de Fábio Assunção, ator de novelas da Globo como "O Rei do Gado", "Celebridade", "Totalmente Demais" e as pelo Viva atualmente reprisadas "Sonho Meu" e "Paraíso Tropical", além de ser o Jorge da série "Tapas & Beijos" de 2011 até 2015.

*45 anos de Mariana Santos, atriz atualmente revista na Globo na reprise de "Pega Pega" e que fez o humorístico "Zorra Total", além de ser jurada do "Amor & Sexo".

*35 anos ao dobrado: do Flamengo campeão carioca com 2 x 0 sobre o Vasco; e do primeiro título catarinense do Criciúma, 2 x 1 sobre o Próspera.

*25 anos do fim de "Antônio Alves, Taxista", novela do SBT escrita por Ronaldo Ciambroni e estrelada por Fábio Júnior.

Arremate

Covid: quase 564 mil vítimas; quase 20,2 milhões de casos; mais de 46,1 milhões de imunizados por completo.

"24 Horas" volta rezando que um dia este mal cesse ou diminua drasticamente!

Torneios de futebol, todas as modalidades e variedades não-esportivas.

Destaques da imprensa esportiva. O que acontece em TV, rádio, jornal e web.

Podcasts com pitacos sobre os esportes e outros registros interessantes.

Convidados escrevem sobre temas de agora no futebol e em todos os esportes.

Para entender o presente, é preciso conhecer o passado. Aqui se faz isso.

Teste de conhecimentos com direito a charadas e perguntas "pega-ratão".

Verde para o bom, vermelho para o ruim e amarelo para chamar a atenção.

Gente do esporte dá dicas de livros, filmes, música, culinária e mais.