Desde 02/06/2003 Criação, produção e edição: Edu Cesar


papodebola@gmail.com


papodebola


sitepapodebola


edupapodebola

SOBRE ESTA SEÇÃO
O editor Edu Cesar comenta os resultados dos campeonatos de futebol e o dia-a-dia dos clubes. Destaque para o que de principal ocorre em todas as modalidades e ainda os tópicos não-esportivos "Sintonia PB", "Clipe do Dia" e "Bela do Dia".
 
LEIA AQUI as colunas anteriores VEJA AQUI as "Belas do Dia" anteriores
 
Terça, 15 de junho de 2021
Mudarei o nome deste site para "Não é Novidade Para Ninguém"

Se eu não der um jeito em mim mesmo, assim terei que fazer nos próximos dias - e peço sua licença para, antes dos assuntos do dia que você já sabe muito bem quais são por ter visto na televisão, escutado no rádio ou lido em tudo quanto é site, blog e rede social, dizer algumas das coisas que tenho trancadas na goela há muito tempo.

Por muitos anos de atualização deste PB, por sempre atualizá-lo de madrugada, muita gente brincava que eu "não dormia". Mas já há muito tempo isso acabou, são raras as madrugadas nas quais fico acordado. Geralmente, tenho dormido no fim de noite e acordado ou no finalzinho da madrugada ou mesmo no começo da manhã - e aí entra o maior pecado meu mesmo, unicamente meu: não deixo nada pronto das pautas das duas colunas diárias já no fim da noite porque sempre preferi fazer tudo na madrugada por nela o noticiário estar "parado" e eu conseguir separar tudo, editar tudo e escrever tudo de uma forma que pudesse valer por um dia inteiro pois não tenho condição de ficar 24 horas na internet atualizando tudo de tudo "em tempo real" igual a um grande portal com diversas pessoas.

Mas ainda assim, melhor do que isso eu poderia fazer, é um mea culpa que faço. Dormindo de madrugada sem ter nada pronto na noite anterior, chega o começo da manhã e me vejo tendo que fazer tudo "no corridão" para que a atualização não seja tão tardia - mas acaba sendo, porque só para juntar os assuntos ao visitar mais de 30 sites diariamente eu levo mais ou menos uma hora e pouco, e com isso de "Datas em 0 ou 5" que tenho adicione mais um tempo de pesquisas que faço, o mesmo para alguns dos temas das duas colunas diárias. Num caso como o de ontem, por exemplo, mais prejudicial ainda isso é não só para mim, mas também para vocês leitores porque acumula dois dias numa só tacada, já que depois da manhã de sábado só volto a ler os mais de 30 sites na noite de domingo.

No sábado, eu já havia publicado a edição conjunta de sábado + domingo da "24 Horas" muito tardiamente, depois das 14h - isto é: publicaria. Só que eu assistia Dinamarca x Finlândia enquanto a editava e aí deu a tensão desesperadora do Eriksen, fiquei a vê-la atentamente e fiquei tão tenso pelo receio de 17 anos depois voltar a ver um jogador morrer em campo que me perdi completamente e só subi a coluna depois das 16h a ponto de não só incluir esse acontecimento, mas dele ser a chamada central da coluna na capa do site (e cada coluna que escrevo levo em média duas horas e pouco só escrevendo, tantas que são as laudas ao tentar deixá-las mais abrangentes possíveis sempre dentro daquilo que acompanho e que acho importante nelas incluir, afinal de contas, ainda é um site de cunho pessoal, como sempre foi). O "Papo de Mídia" demorou mais tempo, só fui conseguir publicá-lo ali pelas 22h ou 23h.

Quando chegou o domingo, acordei bem cedo, às 9 da manhã, e até por ser domingo acabei passando o dia todo na internet acompanhando os eventos esportivos do dia, comentando no Twitter como gosto de fazer sempre - e já quero entrar no assunto Twitter em seguida, ele tá no contexto. Bom, quando chegou 11 da noite, jantei tardiamente. Apenas ali eu começaria a editar o PB de segunda-feira, que por abranger sábado e domingo (não atualizo o site aos domingos porque sempre foi um dia de nula procura comparado aos outros seis e também pra me dar uma pequena folga dele) "acumula dois dias em um só". Acontece que tenho um crônico problema de sentir soneira depois que faço refeições reforçadas de sal. Deitei um pouco, querendo só descansar uma horinha e pouco. Acordei 6 da manhã.

Com isso, como "condensar um fim-de-semana" em apenas quatro ou no máximo cinco horas para publicar tudo de manhã ainda, como há anos tento voltar a fazer para sempre falhar miseravelmente? Impossível ficou. No caso de ontem, às duas colunas diárias adicionei a edição de um "Raridade Rara" (seção que, justamente pela falta de tempo e por querer fazê-la sempre a mais caprichada possível e não "nas coxas", como infelizmente sei que sai volta e meia) sobre os 50 anos do "Sala de Redação", da Rádio Gaúcha. Levei uma hora e pouco a fazê-la entre pesquisa de áudios e vídeos, escrita e publicação - repriso: eu não tenho o hábito de deixar coisas prontas tão previamente, prefiro sempre fazer "na hora" pois vai que deixo algo pronto previamente e perco algo no caminho até a publicação.

Quando consegui publicar a "24 Horas" desta segunda, já passava das 2 e meia da tarde. Procurei fazer a coluna mais abrangente possível de assuntos, claro, destacando as rodadas do Campeonato Brasileiro, da Copa América, da Eurocopa, de Roland Garros, os temas do "Sintonia PB", as "Datas em 0 ou 5", três "Clipe do Dia", no caso dos destaques às competições esportivas tentando sempre colocar algumas referências diferenciadas ou curiosas sobre elas na impossibilidade de melhor análise técnico-tática por completamente burro que sou para comentar um jogo com efetiva propriedade. Para fazer o "Papo de Mídia", levaria mais três horas e pouco. Só que eu publicaria ali pelas 6 da tarde, quando muita coisa já estaria superada por durante a manhã e a tarde surgirem outros assuntos ou atualizações que me fariam ter que re-editar boa parte do que teria por fazer, levando mais e mais tempo ainda.

Explico isso tudo por um único e simples motivo, nada além disso: contextualização sobre tanto atrasos nas publicações de colunas quanto mesmo falta das mesmas. Nestes 18 anos não tenho e nunca tive ajuda de outras pessoas em tudo de tudo, até hoje sou eu que toco sozinho a edição completa deste PB, selecionando assuntos para destacar aqui, editando páginas, escrevendo colunas... Não que eu não tenha pensado em ter ajuda em algum momento, mas repriso algo já citado parágrafos antes: ainda é um site de cunho pessoal, coloco coisas que eu ache ser interessantes de destaque, grande parte delas do meu próprio interesse. E por melhor, mais qualificada e mais sensacional que fosse outra pessoa, talvez ela não fizesse isso ou aquilo do mesmo jeito que eu até em pequenas bobagens irrelevantes, como chamar um time desse jeito ou daquele, colocar uma linha ou um parágrafo a mais, enfim.

Tenho plena ciência de que isso também prejudica exponencialmente a repercussão - a ponto dela ser praticamente inexistente - deste site naquele que tenho como grande termômetro para tanto, que é o Twitter, rede social que mais acompanho porque com o Facebook admito ter perdido a paciência por motivos diversos (só não saindo dele pois só nele tenho contato direto com várias pessoas que considero importantes e que não me seguem no microblog por nele a maioria dos posts ser sobre futebol, e sem o Face não teria o mesmo contato direto) e porque até estou no Instagram, mas é muito "ilha da fantasia" e mais vejo do que posto, praticamente não tenho nada postado lá - e sei que precisaria ter, mas é um ambiente muito voltado para fotos do gênero "a vida é linda e perfeita". Enfim...

Desde sempre publico chamadas do PB no Twitter sempre que acabo de publicar suas atualizações, mas talvez o jeito como eu o faça colabore diretamente para sua repercussão nula por lá, diferentemente do que vejo com outros sites até parecidos (especialmente que bebam na fonte da coluna "Papo de Mídia", que é sim uma pioneira na internet pois antes dela ninguém abordava na internet a imprensa esportiva do que jeito que faço há 18 anos). Pode ser porque eu faça "colunões" reunindo variados assuntos, o que faço porque, se fico dedicado em média oito horas por dia na produção delas, gostaria que o máximo possível deles fosse lido. Além disso, a maioria deles não acho que renda "matérias inteiras", em duas linhas ou três condenso o principal de cada um e pronto. Deve ter a ver com isso, mas é que prefiro condensar muitos assuntos num espação grandão do que "30" links com duas ou três linhas míseras.

Mas enfim: por mais que eu viva fazendo brincadeiras "depreciativas" a meu próprio respeito - que sei que passam da conta, já tive a atenção chamada por vários amigos virtuais quanto a isso, mas que acabo fazendo por receio de, ao querer valorizar o que faço e enaltecer uma dedicação e um empenho na produção do site, não saber onde está a linha tênue que separa valorização e enaltecimento da soberba, da empáfia e da arrogância, o que muito mal me deixaria antes de qualquer coisa -, ainda assim acho que o que faço tem valor, tem qualidade, não é algo ruim. Se eu fosse ruim, se eu não tivesse alguma virtude, nem duraria 18 anos no ar e nem teria várias pessoas na leitura em boa parte ou mesmo quase todos eles. Nada disso, no entanto, me serve de conforto quando percebo que números não batem e a incoerência paira no ar, aí eu me detendo mais especificamente no incômodo que sinto com o Twitter.

O microblog aponta que tenho neste momento 28 mil e 900 seguidores - já foi maior o número, mas muita gente torrou o saco das minhas groselhas vencidas e parou de me acompanhar por lá (inclusive gente importante e que muito curto e há tempos acompanho da imprensa esportiva de televisão, rádio, jornal e internet, no que condenados de forma alguma serão da minha parte em absoluto e jamais, nem por isso eu deixando de ficar chateado porque, se pararam de me acompanhar, algo de errado fiz que lhes desagradou a ponto de não mais quererem acompanhar o que escrevo).

Mas voltando: apontados são 28 mil e 900 seguidores. É um número evidentemente inverídico. Se verdadeiro fosse, não haveria uma repercussão tão baixa, por exemplo, das colunas que publico neste PB, seja das chamadas que faço assim que as jogo no ar, seja por alguma citação espontânea do tipo "li, gostei e vou repercutir por lá". Um pensamento que tenho sobre o Twitter é simples e direto: tuíte bom é tuíte retuitado. Sim, nem sempre a lógica é essa porque tem gente que cobre editorias variadas e muitas vezes retuita algo não por endosso ou concordância e sim para exposição de um pensamento ou manifesto, por mais absurdo ou mesmo cruel que seja, dentro do tema que cobre. Mas enfim: para um número de 28 mil e 900, ter quando muito uma dezena de curtidas nas chamadas evidencia erros meus.

Aí entra o título desta edição de hoje, que penso se não devo adotar como novo nome deste site: "Não é Novidade Para Ninguém". Pare, pense e conclua: o que é que tem de diferente aqui em relação ao que há em outras páginas? Praticamente nada. Um dia já tive algumas informações que lancei em primeira mão, tive sim e alegre e orgulhoso por elas fico por terem sido belos gols. Mas sem isso, sobra o quê? Pegue, por exemplo, a "24 Horas" desta segunda. Veja bem ela de ponta a ponta. O que é que há de diferente em relação a outros lugares, de acréscimo especificamente meu? Não há nada. Tudo que nela está é encontrado em outros sites, bastando procurar. O próprio "Papo de Mídia", não há mais nada "meu" nele, tudo que publico as pessoas acharão em outras tantas páginas de portais.

E por qual motivo sigo fazendo isso tudo, se não é novidade para ninguém o que publico? Talvez teimosia, talvez porque eu não saiba fazer outra coisa tão bem quanto faço isso aqui (e nem isso devo fazer bem, só ver que as pessoas não repercutem, as pessoas não comentam, as pessoas não destacam o que trago aqui, nem sequer xingamentos e ofensas pesadas recebo por causa do que publico), talvez uma tentativa de "reafirmação", de que "sou capaz" nem sei direito do quê... Não sei nem como cheguei aqui, só sei que ninguém mais está lendo pois cansou e caiu fora. Mas eu precisava botar pra fora, tem anos e anos que seguro isso. E se alguém souber dar uma dica de caminho a seguir, procedimento a fazer, sugira, indique, reivindique. Se o que faço do meu jeito não agrada às pessoas, que as pessoas digam como querem ser agradadas. Quem sabe aí o que eu faço ganhe efetiva repercussão.

Vamos à coluna do dia em si, se é que sobrou alguém na leitura. Afinal, nada a seguir é novidade para ninguém.

Começa a 4ª rodada da Série B

São quatro jogos nesta terça: CSA x Guarani (18º com 1 x 8. com 4) - alagoanos agora com Dudu Beberibe, autor do gol do 4 de Julho na derrotaça de 9 x 1 pro São Paulo -, Náutico x Vila Nova (1º com 9 x 6º com 5), Confiança x Brasil (13º com 3 x 17º com 1) e Goiás x CRB (5º com 5 x 4º com 7). Amanhã, Remo x Vitória (12º com 4 x 14º com 2).

Outros destaques de ontem, de hoje e de amanhã à tarde

Campeonato Brasileiro Série C A 3ª rodada do Grupo A terminou com Ferroviário 1 x 0 Santa Cruz. Classificação: em 1º, Ferroviário com 7; em 2º, Volta Redonda e Manaus com 6; em 4º, Altos, Floresta, Botafogo da Paraíba e Paysandu com 4; em 8º, Tombense com 3; e em 9º, Santa Cruz e Jacuipense com 1. Amanhã à tarde, a 1ª rodada do Grupo B finalmente será completada por Oeste x Mirassol (8º com 1 x 6º com 3).

Campeonato Paranaense Depois de três semanas, finalmente Athletico e Paraná disputarão nesta quarta a volta ainda das quartas-de-final, FC Cascavel pacientemente esperando seu adversário. A vantagem é rubro-negra por 2 x 0 e os paranistas terão apenas 21 dos 35 jogadores inscritos na competição, sendo que quatro titulares e um reserva da ida já picaram a mula e tomaram destinos diferentes.

Campeonato Potiguar Começa amanhã à tarde a final entre Globo e ABC.

Copa América A 1ª rodada do Grupo A começou com Argentina 1 x 1 Chile (golaço de falta do Messi, só não mais bonito que a homenagem ao Maradona antes da bola rolar) e Paraguai 3 x 1 Bolívia, folgando o Uruguai. Aliás: Copa América com 52 casos de Covid confirmados após 3.045 testes, sendo 33 entre jogadores e membros de comissões técnicas e os demais em funcionários de redes hoteleiras. Falta de aviso não foi... mas não foi mesmo.

Eurocopa O Grupo D terminou a 1ª rodada com República Tcheca 2 x 0 Escócia na dobra do Schick, com direito ao golaço do meio de campo, neste que é o primeiro grande torneio dos escoceses desde a Copa do Mundo de 1998. Já o Grupo E começou com Espanha 0 x 0 Suécia e Eslováquia 2 x 1 Polônia, um dos gols eslovacos sendo contra do Szczesny, assim acertadamente assinalado pelo árbitro Ovidiu Hategan porque o chute do Robert Mak foi na trave, a bola ricocheteia nas costas do goleiro e entra - e o gol precisa ser sempre de quem faz a bola parar na rede. O Mak não mandou ela no alvo e sim na trave. Quem mandou no alvo foi o Szczesny, logo... E para encerrar a primeira de três partes desta fase, o aguardadíssimo Grupo F largando nesta terça com Hungria x Portugal e França x Alemanha.

Amistoso feminino Depois de Brasil 0 x 0 Canadá, agora é aguardar a convocação da Pia Sundhage, que chamará 18 jogadoras na próxima sexta-feira para os Jogos Olímpicos de Tóquio.

Curtinhas Esportivas

Lisca não treina mais o América Mineiro Há sete jogos sem vitória, ele pediu demissão ("pediu demissão" ou, diante da nova regra limitadora de demissões, pediram para que pedisse demissão?) depois de um ano e quatro meses, no qual obteve 40 vitórias, 27 empates e 15 derrotas. O auxiliar Cauan de Almeida ficará no seu lugar por enquanto.

O último com mais de 365 dias Da Série A, agora só sobrou Guto Ferreira no Ceará com mais de um ano.

Tiepo fora de atividade Seis meses de parada para o jogador da Chapecoense, que rompeu o tendão patelar do joelho esquerdo no 0 x 0 com o Ceará, lesão parecida com a de Ronaldo Nazário na Internazionale.

Recuperado pelo Vasco o troféu da Libertadores Assim foi decidido pela Justiça depois que o clube pagou 30% (R$ 19.305,00) da dívida que tem com o jogador de basquete Nick Okorie - a taça tinha sido penhorada.

Sintonia PB

Começa o tópico desta "24 Horas" que está antenado no que ocorre fora dos esportes. Às novidades:

Juliana Rosa deixou a TV Globo Até a publicação desta coluna a jornalista especializada em economia ainda não havia anunciado o novo desafio profissional que disse ter aceitado. Foram 20 anos dela na GloboNews, à qual chegou após trabalhar na Super Rádio Tupi, no Jornal do Commercio e no Investshop.

Mudanças no "Roda a Roda" A partir de hoje, o programa do SBT voltará a ter episódios inéditos às 20h30. De segunda a sexta, Luís Ricardo será o apresentador. Já aos domingos, às 19h, Patrícia Abravanel estará no ar. Rebeca Abravanel parou de apresentá-lo pois foi morar nos EUA com Alexandre Pato, do Orlando City.

E fique antenado! "Sintonia PB" continua de olho no que ocorre fora dos esportes e retorna na próxima coluna.

Bela do Dia: Eloise Mumford

Eloise Mumford, atriz dos filmes "Cinquenta Tons de Cinza", nos quais faz Kate, colega de quarto e melhor amiga da protagonista Ana. Em "Heróis Contra o Fogo" (Chicago Fire), ela aparece nos primeiros episódios do 6º ano como uma amiga da Sylvie Brett que apronta muitas e más no 51.

Datas em 0 ou 5

É um hábito desta "24 Horas" de bastante tempo e que será mantido aqui ao observar datas importantes que completam 5, 10, 25, 40, 65, 100 anos, enfim, sempre em 0 ou 5 pois é como consigo me organizar melhor. As desta terça, 15 de junho, são estas:

*60 anos de Ralf, cantor da famosa dupla sertaneja com Chrystian.

*45 anos de Fabão, ex-futebolista campeão por Bahia (um Baiano), Flamengo (Mercosul de 1999 e dois Cariocas), Goiás (Centro-Oeste de 2002 e dois Goianos), São Paulo (Mundial e Libertadores de 2005, Brasileiro de 2006 e um Paulista) e Kashima Antlers (um Japonês e uma Copa do Imperador).

*35 anos de Gustavo Berriel, dublador do Senhor Barriga e do Nhonho no "Chaves" tanto em desenho animado quanto da série clássica a partir da década de 2000.

*20 anos do Los Angeles Lakers campeão da NBA com 108 x 96 sobre o Philadelphia 76ers para 4 x 1 na melhor-de-sete.

Clipe do Dia: Harry Nilsson

Falecido em 1994, este cantor nascia há 80 anos completados nesta terça. Ele venceu dois Grammy, um por "Without You" e outro por "Everybody's Talkin'", o aí conferido tema do filme "Perdidos na Noite".



Clipe do Dia: Demis Roussos

Se não tivesse partido em 2015, este grande cantor grego completaria hoje 75 anos. Deixo de 1973 este belo tema que ainda hoje me faz lembrar, por motivos esportivos, de uma moça arrebatadora: "Forever and Ever".



Clipe do Dia: Duran Duran

Com nome inspirado no vilão de Barbarella, a banda liderada por Simon Le Bon tinha seu primeiro disco lançado há 40 anos fechados nesta terça, tendo o nome do grupo. O principal destaque está aí: "Girls on Film".



Clipe do Dia: Ella Fitzgerald

Nascida em 1917, uma das maiores cantoras de todos os tempos nasceu há 25 anos hoje completados. Lenda do "Great American Songbook" e única no seu estilo, venceu 14 Grammys ao longo de seis décadas. Destaco de 1968 uma apresentação ao vivo na Alemanha, trazendo Ella e o Trio Tee Carson em "Summertime".



Arremate

Coronavírus já vitimou no Brasil mais de 488 mil dos mais de 17 milhões e 400 mil infectados. Pesadelo sem fim!!!

"24 Horas" volta rezando que um dia este mal cesse ou diminua drasticamente.

Torneios de futebol, todas as modalidades e variedades não-esportivas.

Destaques da imprensa esportiva. O que acontece em TV, rádio, jornal e web.

Podcasts com pitacos sobre os esportes e outros registros interessantes.

Convidados escrevem sobre temas de agora no futebol e em todos os esportes.

Para entender o presente, é preciso conhecer o passado. Aqui se faz isso.

Teste de conhecimentos com direito a charadas e perguntas "pega-ratão".

Verde para o bom, vermelho para o ruim e amarelo para chamar a atenção.

Gente do esporte dá dicas de livros, filmes, música, culinária e mais.