Desde 02/06/2003 Criação, produção e edição: Edu Cesar


papodebola@gmail.com


papodebola


sitepapodebola


edupapodebola


(51) 99843-7700

SOBRE ESTA SEÇÃO
O editor Edu Cesar comenta os resultados dos campeonatos de futebol e o dia-a-dia dos clubes. Destaque para o que de principal ocorre em todas as modalidades e ainda os tópicos não-esportivos "Sintonia PB", "Clipe do Dia" e "Bela do Dia".
 
LEIA AQUI as colunas anteriores VEJA AQUI as "Belas do Dia" anteriores
 
Segunda, 12 de outubro de 2020
A consagração do Lakers numa noite inesquecível



O domingo já tinha começado especialíssimo para o esporte mundial com Lewis Hamilton igualando o recorde de vitórias de Michael Schumacher na Fórmula 1 e com a 13ª conquista de Rafael Nadal em Roland Garros, feitos que na edição do próprio dia já destaquei. Mas ainda tinha mais, à noite, com o Lakers de Los Angeles (como me habituei ouvir de Álvaro José nos anos 90) indo para a quadra "com sangue nos olhos" para resolver de uma vez por todas a decisão da NBA e arrematá-la por 106 x 93, em jogo onde chegou a ter em dado momento 30 pontos de vantagem para um bravo, mas no fim das contas inferior Miami Heat, cujo destaque Jimmy Butler desta vez sucumbiu ao cansaço e à forte marcação. Cansados não estão os torcedores amarelos de L.A. de tanto comemorar até agora.

Foram 10 anos de espera, que valeu muito a pena e teve um simbolismo único pelo fim dela ser justamente no ano em que o expoente maior da conquista anterior nos deixou tragicamente. Kobe Bryant não deixou de ser lembrado um momento sequer nesta final e mais ainda quando a consumação do feito estava mais e mais próxima. LeBron James e Anthony Davis juntam-se a uma galeria de craques históricos da franquia, que além do Kobe tem também monstros eternos como Magic Johnson, Kareem Abdul-Jabbar e Wilt Chamberlain. Geração após geração, o time tem líderes inesquecíveis. E no epílogo deste 2020, LeBron foi demais: nas 6 partidas, média de 29,8 pontos, 11,8 rebotes e 8,5 assistências por jogo. Com razão foi eleito MVP (jogador mais valioso da finalíssima) pela 4ª vez.

LeBron também faz história por ter agora 4 títulos por 3 equipes diferentes, campeão que já fora pelo próprio Heat no bi de 2012 e 2013 e pelo Cleveland Cavaliers da virada absurdamente surreal de 2016. Outro que tirou um peso das costas - não imposto por si mesmo e sim nele colocado por apressados nervosos e até imundamente canalhas e rasteiramente hediondos - foi Danny Green, que errou na sexta-feira a cesta que poderia ter dado ali o título ao Lakers. Até ameaça de morte por isso ele relatou ter recebido, um absurdo completamente descabido e sujo praticado por pessoas gente desmioladas, mal intencionadas ou as duas coisas juntas. Danny também passa a ser campeão por 3 equipes diferentes, vencedor que fora antes por San Antonio Spurs em 2014 e Toronto Raptors ano passado.

Além disso tudo, quem também sai por cima é a própria NBA, que compreendeu os tempos graves que vivemos no ano mais anormal do mundo em um século - a pandemia ainda não acabou, lembro sempre para aqueles negacionistas que não estão nem aí para as outras pessoas e acham que tudo pode voltar ao normal quando tudo está muito longe ainda de voltar ao normal - e, diferentemente de muitos outros eventos esportivos, "trancou-se numa bolha" nestes play-offs, concentrando tudo em Orlando em nome da maior segurança possível para evitamento da disseminação do coronavírus. Como vemos, deu certo, foi eficiente, mostrou-se acertada a medida. Também por isso esta temporada é inesquecível, fora ainda os protestos sociais contra o racismo que chegaram a parar o mata-mata, fundamentalíssimos.

Os outros tentam, mas o Galo não se deixa ser alcançado



Quando os resultados paralelos não colaboram, mas você pode resolver tudo por si mesmo apenas, o que é que faz? Ora bolas, vai lá e resolve! O Atlético Mineiro assim fez nesta 15ª rodada do Brasileirão. Deu de ombros para o lanterna Goiás no confronto dos extremos e, mesmo com o pênalti "mandrake" à parte na abertura do escore, ganharia ainda assim por amplamente e imensamente superior, tanto que 3 x 0 acabou ficando barato não fosse Tadeu impedir um massacre maior. Keno não é John Travolta, mas sábado à noite é nos embalos dele e estamos conversados. Ainda destaque-se a primeira participação de um jogador nascido em 2004 nesta Série A, o alvinegro Sávio, o que mais uma vez dentre tantas - uma delas, inclusive, citarei nas "Datas em 0 ou 5" de desta segunda - me lembrou da máxima de sargento Roger Murtaugh em "Máquina Mortífera": "estou ficando velho demais para isso". (risos)

Quando a bola rolou no Atleticão... digo: no Mineirão (só dá Galo ali, 12 vitórias consecutivas), o Flamengo até o tinha alcançado em pontos, mas ainda ficara atrás no critério de vitórias, o que dá mais valor ainda ao "8 ou 80" de Jorge Sampaoli ao não empatar por numa hora como essa fazer diferença ter mais êxitos que os outros. Bom, o rubro-negro saiu perdendo pro Vasco numa bobeadaça defensiva inacreditável, mas virou com direito a Bruno Henrique, culpado no tento adversário e depois culpado por causar ao adversário o 16º "Clássico dos Milhões" sem vitória dele desde 2016. São agora 13 gols do "Rei dos Clássicos" em 19 enfrentamentos contra os 3 arqui-rivais cariocas. O 1º Vasco x Flamengo em São Januário desde o quebra-quebra de 2017 teve ainda Guilherme Parede impedido no que poderia ser o 2 x 2 dos donos da casa, mas quem lembra dele no Internacional nem estranha mais, virou até piada isso.

Internacional, aliás, que desbancou o Flamengo na domênica noturna exclusivamente radiofônica em termos de aldeia pampeana para ser vice-líder com um 2 x 1 marcado pelo sofrimento no final, pois o Athletico Paranaense batalhou bastante pelo empate a ponto de consagrar Marcelo Lomba nos instantes derradeiros com uma defesa fantástica, como que pegando a bola "pelo rabo" de tão aparentemente impossível, daquelas de virar vinheta de programa de TV. Mais uma vez tivemos "Galhardependência", a vitória começou com Thiago Galhardo. Graças às duas vitórias seguidas, o Colorado tem agora 5 partidas gerais de invencibilidade, devolvendo calmaria a Eduardo Coudet e cia.

Calmaria quem também ganhou foi Fernando Diniz no São Paulo, que conseguiu finalmente ganhar do Palmeiras no Allianz Parque após 1 empate e 8 derrotas desde o 1º Choque-Rei ali realizado em 2015. Mais do que isso: os 2 x 0 mantiveram os são-paulinos incrivelmente invictos nos clássicos locais nesta temporada, com 3 vencidos e 3 igualados. Alegrias que a coletividade tricolor espera que sejam não mais efêmeras e sim mais duradouras, como um dia foram na vitoriosa era do Telê Santana, cuja contratação completou 30 anos neste domingo. Da parte alviverde, mais uma dura paulada após o fim da invencibilidade mais mentirosa dos últimos tempos. Vanderlei Luxemburgo caiu na real e tanto não está mais sem perder no embate específico quanto no novo Parque, onde vencera 10 vezes e empatara 7 neste ano. Quer dizer: "caiu na real" uma ova, ouçam as declarações dele e perceberão que nada mudou.

Calmaria quem não vive mais de forma alguma é o Santos - e por culpa exclusivamente própria ao passar a ter pela 4ª vez Robinho. Se fosse só pelo campo em si, não justificaria por estar em declínio técnico há um tempão e não ser simplesmente seu retorno a um lugar onde foi rei que automaticamente faria seu bom futebol voltar. Mas fora das quatro linhas torna-se mais injustificável ainda a recontratação devido à péssima repercussão especialmente entre as mulheres e também entre muitos homens (aí em menor proporção, mas nada que surpreenda) devido ao caso da condenação por estupro dada pela Justiça da Itália em 2017. Já se falou muito desde sábado à noite, especialmente no Twitter, sobre a questão do julgamento, a primeira instância, recursos em outras, tudo isso aí existe mesmo e foi bem explicado até por juristas em entrevistas. Mas não é apenas a situação legal já muito grave, mas sobretudo a moral.

Torna-se imoral a contratação do Robinho considerando-se que volta num status de ídolo, num sentido positivo, e não tem como ser positivo associar novamente a marca do clube com quem está envolvido em uma situação extremamente seríssima como o estupro de uma mulher (violência gravíssima que deixa sequelas físicas e especialmente emocionais para sempre), repriso que independentemente da questão de responder em liberdade devido aos recursos. É fato a condenação na 1ª instância, a juíza considerou ter elementos fortes para tanto. É uma mancha que fica na imagem da pessoa, que não pode ser separada do atleta pois o esporte não é "uma bolha à parte" na sociedade. E torna-se mais incoerente ainda por ser o Santos um clube que fez tantas campanhas contra a violência sofrida por elas.

Nada do que se diga, no entanto, parecerá surtir efeito na mente nitidamente sem solução do presidente tampão Orlando Rollo. Ele conseguiu dizer neste domingo, na Rádio Grenal, que quem está reclamando da volta do Robinho é "corintiano, palmeirense e são-paulino com dor de cotovelo". Mas em que mundo este senhor vive, meu Deus do céu? Questão clubística tenho visto nas redes é de muitos santistas, isso sim, mas isso seria igual fosse qualquer outro clube no lugar do Santos pois a podridão desumana independe da cor clubística por estar em todas elas sem exceções, má índole não tem cor específica de camisa. As mulheres que amam futebol não merecem isso, ainda mais sendo o Brasil um país onde a violência sofrida por elas na sociedade em geral tem números altíssimos (e a imagem de "normalidade" joga contra isso), e a instituição Santos Futebol Clube também não. Enfim... Não deveria acontecer isso.

Dentro de campo e com direito às "pedaladas" alusivas ao retornado jogador - algo que também causou muitas reações negativas por ser mais um fato ligado ao que citei nos parágrafos acima -, Marinho fez uma dobra de pênalti (o 2º inexistente) que garantiu o 2 x 1 do alvinegro praiano sobre o Grêmio, sendo agora de 12 partidas a invencibilidade neste ano (metade delas vencida). Pênalti reclamado por não dado à parte, os gaúchos continuam com o sinal de alerta mais ligado do que nunca, ficar sobrevivendo apenas da invencibilidade no clássico Grenal e achar que só a "bolha regional" de ser melhor que o arquirival vale mais do que tudo não levará o time do Renato a lugar algum. E só voltando ao Santos pois lembrei de mais uma do já traumático Orlando Rollo: teve o caso da funcionária que denunciou assédio sexual e injúria racial de um conselheiro e, como "prêmio", ganhou a demissão. Pombas!!!

Bem... Pênaltis marcaram duas vitórias cariocas sobre nordestinos. O do 1 x 0 do Fluminense sobre o Bahia foi bem discutível, eu não marcaria. O "vovô" Nenê tirou proveito para fazer seu 19º gol no ano. Após o último apito, Mano Menezes chamou de "vagabundo" o apitante José Mendonça da Silva Júnior (sósia do ex-zagueiro Cris, como bem dito pela seguidora twitteira Anna Barros) e foi deselegante ao máximo ao negar um cumprimento a Odair Hellmann. Já os 2 x 1 do Botafogo no Sport, iniciados por Honda castigando uma papagaiada do Luan Polli, foram marcados por uma penalidade máxima não dada para os rubro-negros, mesmo com revisão no VAR - é aquilo: o problema não é a tecnologia e sim as pessoas que a operam, e não seria com ela que parariam de errar como faziam sem ela. No mais, pênalti não dado à parte, o Leão parece "dar tilt" quando pega times do Rio, 2º fumo seguido que toma.

Ricardo Oliveira estreou no Coritiba em "oxo" com o Fortaleza. São 4 jogos de seca do Coxa e 7 de invencibilidade só no Brasileirão e 8 gerais do Leão do Pici. Já o Red Bull Bragantino até saiu na frente com um golaço do Claudinho por cobertura após saída errada do Jean (outro que está queimadíssimo com um monte de gente com total razão para tanto devido à agressão à esposa na Flórida no fim do ano passado, o que motivou ali sua saída do São Paulo), mas o Atlético Goianiense empatou antes do intervalo e fez o 2 x 1 aos 44 minutos da segunda etapa, nesta que tudo está indicando ter sido a despedida de Vagner Mancini por seu novo destino ser o Corinthians.

Corinthians, que até começou vencendo num frangão inacreditável do Fernando Prass, mas que "deu o empate" ao Ceará no gol contra do Gil. Aos 16 do segundo, Vozão com um a menos pois Eduardo expulso, até chutou a cabine do VAR quando deveria era "se chutar-se a si mesmo e vice-versa" por ter sido bocó na falta que fez. Mas mais bocó ainda conseguiria ser Cássio com o pênalti imbecilérrimo que cometeu e que Fernando Sobral converteu no 2 x 1 da vitória alvinegra de Porangabuçu aos 44 do segundo. Um respiro de alívio para o Vozão, que não ganhava havia 4 rodadas e 5 jogos gerais. Já o Timão, bom... Cássio foi expulso depois do último apito, quase deu "tretation-tion" dele com Anderson Daronco. A pontuação do alvinegro de Parque São Jorge é tão baixa que, na proporção da mesma quantidade de jogos, já é 2 pontos menor que a do 2007 do rebaixamento. Incrível como apatifaram o Corinthians.

Vamos à classificação da divisão principal, sempre destacando que asterisco corresponde a jogo a menos: em 1º, Atlético Mineiro* com 30; em 2º, Internacional com 28; em 3º, Flamengo* com 27; em 4º, São Paulo* com 26; em 5º, Fluminense e Santos com 24; em 7º, Palmeiras* com 22; em 8º, Fortaleza com 21; em 9º, Sport com 20; em 10º, Vasco*, Ceará, Atlético Goianiense e Botafogo com 18; em 14º, Grêmio* com 17; em 15º, Athletico Paranaense*, Bahia e Corinthians com 15; em 18º, Coritiba com 13; em 19º, Red Bull Bragantino com 12; e em 20º, Goiás*** com 9. Os corintianos estão na zona do rebaixamento por terem uma vitória a menos que baianos e paranaenses.

Antes da próxima rodada cheia, tem jogo atrasado da 11ª rodada na terça: Flamengo x Goiás. Aí sim vem a 16ª, aberta na quarta por Palmeiras x Coritiba, Grêmio x Botafogo, Santos x Atlético Goianiense, Athletico x Corinthians, Galo x Fluminense e Sport x Inter. Na quinta, tem Fla x BragaBull e, na sexta, e Goiás x Bahia. Em termos de liderança, duas mudanças possíveis: o Inter vencer e o Galo perder, daí ficaria 31 x 30 pois 31 x 31 dá Atlético pelas vitórias (ficaria 10 a 9); ou o Flamengo ganhar as duas e o Galo no máximo empatar, pois aí ficaria 33 x 31 - e mesmo que os cariocas ganhem as duas, basta os mineiros vencerem que seguirão em primeiro independentemente dos outros.

Me ajuda a te ajudar, Cruzeiro!



Empatar sem gols com o lanterna da Série B foi demais - e pior: as melhores chances da partida foram do Oeste. O que fizeram com a Raposa é um crime lesa-esporte. E sabem onde a corda arrebenta nessas horas, né? Ney Franco deu adeus exatamente 30 dias após seu 1º jogo, tendo apenas 7 na casamata azul, dos quais 2 vencidos, 1 empatado e 4 perdidos. Vem aí o 4º treinador cruzeirense em 2020, depois dele e de Enderson Moreira e Adilson Batista. Não é apenas na beira do caos que estão os mineiros; é na beira do precipício mesmo. Onde isso irá parar? No mais, resultado perfeitamente coerente este sendo o Rubrão o maior empatador do futebol tupiniquim.

No mais, o Avaí estragou a estreia do Eduardo Barroca no Vitória ao marcar 2 x 1 e deixar os baianos há 4 jogos sem ganhar, o Guarani enfim triunfou após 6 fracassos com 3 x 1 sobre o CRB, o CSA tocou um 4 x 0 impiedoso no Paraná (antes dos 10 do primeiro estava 0 x 0 e depois dos 23 já estava 3 x 0) com direito a trinca pessoal do Paulo Sérgio - 20 gols no ano, maior goleador brasileiro até aqui - para deixar os paranaenses há 5 rodadas na seca, além do Sampaio Corrêa bater por 2 x 0 o Botafogo de Ribeirão Preto, o que acabou sendo menos ruim para o Cruzeiro.

À classificação, com asterisco indicando jogo a menos: em 1º, Cuiabá com 32; em 2º, Chapecoense** e América Mineiro com 26; em 4º, Ponte Preta com 24; em 5º, Juventude e Paraná com 23; em 7º, Avaí e Operário com 22; em 9º, CRB* com 20; em 10º, CSA* e Confiança com 19; em 12º, Vitória e Brasil* com 18; em 14º, Sampaio Corrêa*** com 17; em 15º, Náutico* com 15; em 16º, Botafogo, Figueirense* e Guarani com 14; em 19º, Cruzeiro com 12; e em 20º, Oeste com 7. Falei que a vitória do Bolívia Querida foi menos ruim para a Raposa pois a distância para a 16ª posição ficou em 2 pontos, ao passo que empate faria ela ser de 3. E o Botinha escapa pelas vitórias (4 a 3 dos outros).

A 16ª rodada "se misturar-se-ar-se" com pelejas pendentes neste meio de semana. Ela em si tem na segunda Náutico x Ponte Preta, na terça Avaí x CSA e Guarani x Cuiabá, na sexta Botafogo x América e Cruzeiro x Juventude, ficando para sábado Chapecoense x Vitória, Confiança x Oeste, CRB x Operário e Brasil x Figueirense, além do domingo com Paraná x Sampaio. Mas não é só isso, como diria aquele carinha do comercial de televendas. Tem na quarta-feira Sampaio x Figueirense, pela 4ª rodada, e CRB x Chape, pela 9ª. Já são duas baixas nos asteriscos.

Os destaques destes dias de feriado

Brasileirão Série D Depois de 15 anos (desde Estrela do Norte x Serra na C), voltamos a ter por uma divisão nacional um jogo entre clubes do Espírito Santo. Deu Real Noroeste por 3 x 2 sobre o Vitória.

Paulistão Série A3 Paulista rebaixado para a 2ª (em fato 4ª) divisão ao tomar 3 x 2 do Olímpia. Não é apenas a suspensão preventiva da Federação pelo envolvimento em resultados manipulados; é também esta descendente que, sinceramente, não sei se terá reviravolta, não. Pensar que ele foi campeão da Copa do Brasil há 15 anos...

Brasileirão Feminino Tomar 2 x 0 do Cruzeiro não resultou em 100% de males para o Minas Brasília, que conseguiu se manter na divisão principal para 2021. Mas houve um triste fato que merece necessária averiguação: após a partida, sua jogadora Jéssica denunciou que, ao questionar o árbitro Michel Patrick Costa Guimarães sobre um pênalti não marcado, ouviu dele: "eu sei, eu vi... e se você não sair da minha frente, eu vou te derrubar". Mas por favor!!! Bom... (respirando fundo) É brabo! Bem, outro destaque ficou para os extremos com a lanterna e já rebaixada Ponte Preta tomando 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7 x 0 do líder Corinthians. A Macaca perdeu todos os 14 jogos e o Coringão chegou às 10 vitórias seguidas. Só não foi a maior goleada da rodada pois o Internacional fez 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9 x 0 no Audax. Este meio de semana marcará o fim da 1ª fase, voltarei ao assunto e aí ficarei mais detido e atento ao mata-mata.

Curtinhas Esportivas

Arrascaeta fora na Eliminatória E talvez fora de jogos próximos do Flamengo, lesão na perna esquerda tira ele do Uruguai para a partida desta terça contra o Equador. Só o que falta agora para os cariocas.

Ministério Público Federal tá certíssimo Correta a exigência de esclarecimentos por parte da CBV no caso da Carol Solberg. Quero ver tentarem justificar o injustificável. Certamente não conseguirão. Que se lasquem.

Destaques da NFL São três: fim da invencibilidade de 13 jogos do Kansas City Chiefs ao tomar 40 x 32 do Las Vegas Raiders; Romeo Crennel tornando-se o técnico mais velho de um time da liga (73 anos e 112 dias, superando os 72 e 318 de George Halas no Chicago Bears em 1967) ao liderar interinamente o Houston Texans nos 30 x 14 diante do Jacksonville Jaguars; e depois de 693 dias afastado por fraturas em fíbula e tíbia - por causa das quais foram necessárias não uma, duas ou mesmo cinco, mas 17 (de-zes-se-te!) cirurgias com direito ao risco de amputamento da perna -, Alex Smith voltou ao campo nos 30 x 10 sofridos pelo Los Angeles Rams ante o Washington Football.

Bruno Soares ficou no quase desta vez Ele e o croata Mate Pavic não fizeram frente aos alemães agora bicampeões de duplas masculinas Kevin Krawietz e Andreas Mies, 2 x 0 (6/3 e 7/5) para eles em Roland Garros.

O nocaute mais inacreditável da história do MMA Mesmo que eu não seja fã das artes marciais mistas e que não tenha o costume de falar delas no PB por pura e simples questão pessoal (afinal, lembro que este ainda é um site de caráter pessoal mesmo passados 17 anos de seu surgimento), claro que acompanho mesmo à distância as coisas delas e sei das lutas, dos cinturões, dos vitoriosos e dos derrotados, olhando também imagens das lutas nos noticiários. Por isso que digo, afirmo e reafirmo o que está em negrito no título do tópico: é o nocaute mais inacreditável da história do MMA, sim, esse que Joaquin Buckley aplicou em Impa Kasanganany no card preliminar do UFC deste fim-de-semana. Mesmo com a perna sendo segura ao falhar uma tentativa de chute alto de canhota, ele deu um giro impressionante e meteu a destra "no focinho" do adversário para derrubá-lo. Nem efeito especial de cinema faria isso!!!

Sintonia PB

Começa o tópico desta "24 Horas" que está antenado no que ocorre fora dos esportes. Às novidades:

Horário político no rádio Por esquecimento puro, esqueci de destacar isso ainda na sexta ou no sábado: das 7h às 7h10 e das 12h às 12h10, aqui especificamente em Porto Alegre, as rádios AM e/ou FM que seguem com programação própria nestes 10 minutos em questão são 92, 102, Antena 1, Atlântida, Boa Vontade, Gaúcha, Grenal, Guaíba (esta não no player em áudio e sim no Facebook), Pampa e União de Novo Hamburgo. As demais não mencionadas mantém pelo som na internet a propaganda eleitoral, que em alguns casos é de cidades da região metropolitana.



Quem curte cultura tem que curtir Camila Diesel A apresentadora da Rádio Guaíba, que comanda às 7 da noite o "Set Guaíba" de segunda a sexta, tem se notabilizado como a grande referência em jornalismo cultural no dial AM e/ou FM porto-alegrense, bastando escutar algumas poucas vezes seu programa para entender por que digo isso. Mas agora ela ampliará o campo de atuação por abrir um canal de vídeos no YouTube para trazer mais entrevistas ainda com gente das artes em todas as esferas possíveis e diversas. Valerá acompanhar muito, a Camila é ótima.

Mudança na Band RS Horários alterados a partir desta segunda na Rádio Bandeirantes daqui de Porto Alegre, com a versão local do "Primeira Hora" apresentada por Rogério Mendelski passando a ir das 5h30 às 9h (interrompida das 7h às 7h30 para o jornal SAT da Izabella Camargo e do Nelson Gomes, meia hora na qual segue no ar somente por YouTube e Facebook), acabando meia hora mais tarde e deixando ele com a mesma faixa horária que por 12 anos teve na Guaíba quando fazia o "Bom Dia". Isso tira duração do "Jornal Gente", agora indo das 9h às 10h30.

Mudança na RB também Desde este fim-de-semana, houve alterações nos domingos da Rádio Bandeirantes de São Paulo. O quase sessentão "Arquivo Musical", hoje liderado pelo Ronald Gimenez e que era das 7h às 10h quando comecei a escutá-lo por ondas curtas há mais de 20 anos na época do saudoso Antônio Carvalho, vinha sendo das 6h às 8h30, mas agora passa a ir ao ar das 5h às 7h. Ele pega o horário que era o de reprise do "Memória" do Milton Parron, que passou para das 7h às 8h (a primeira transmissão é no sábado das 22h às 23h, horário flutuante mediante jogos ou não na faixa). O "Fôlego" agora é das 8h às 9h, quando vem o "Domingo Esportivo Bandeirantes".

Tem CNN Rádio estreando nesta 3ª Será o acontecimento a conferir na Rede Transamérica FM já às 6h, com Roberto Nonato abrindo os trabalhos até 10h, quando chegarão Sidney Rezende e Thaís Herédia.

Solidariedade a Bob Fernandes O jornalista e a esposa Ana Kaplan sofreram uma dura e tristíssima perda no sábado com a morte, aos apenas 24 anos, da filha Letícia Kaplan Fernandes, advogada e que sofria de câncer.

SBT RS divulga índices de Ibope A filial de Porto Alegre terminou setembro em 2º lugar na média das 24 horas diárias com 3,4 pontos, abaixo dos 12,9 da líder não citada (RBS) e acima dos 3 da 3ª colocada não citada (Record). Dos programas locais, o melhor número é do "Masbah!", apresentado pela Brunna Colossi ao meio-dia dos sábados, com 5,2 pontos médios, abaixo dos 16,4 do "Jornal do Almoço" e acima do 1,9 da "Escola do Amor".

Demissões no SBT Brasília Sei pelo Gabriel de Oliveira que foram 15 na capital federal nos últimos dias, incluindo a repórter local e nacional Larisse Neves. O rumor de bastidor é que até mesmo o portal recém-lançado SBT News, pouco divulgado na televisão e mais voltado a política e economia, possa ser extinto. Dureza.

As trabucadas do Boris Casoy Saído há poucos dias da RedeTV! após 4 anos, o apresentador disse ao canal de vídeos Rádio Biazon que, mesmo sem mágoas por isso, a emissora alegou que ele tinha um salário alto quando acha que não era bem assim pois vinha recebendo 50% dele desde março e que devem ter achado que estavam pagando ele "sem praticamente trabalhar" - confinado devido à pandemia, fazia apenas um comentário diário no "RedeTV! News". Agora, o jornalista lançará na terça-feira da semana que vem tanto no YouTube quanto na TV Alphaville o "Jornal do Boris", às 8 da manhã. Diz ele que a inspiração é o clássico programa "O Trabuco", apresentado na Rádio Bandeirantes por Vicente Leporace de 1962 até sua morte em 1978, no lugar dele surgindo então o "Jornal Gente".

Vem aí "FBI" na Globo A partir do dia 23, a série estrelada por Missy Peregrym, Zeeko Zakki, Sela Ward (depois Alana de la Garza) e Jeremy Sisto chegará à TV aberta na "Sessão GloboPlay", logo depois do "Globo Repórter", ali por volta da meia-noite com isso de espicharem "A Força do Querer" até quase 11 da noite como estratégia na "guerra do Ipobre" contra a Record e sua "Fazenda". Desde a última semana, "FBI" mudou de dia no Universal TV, trocando as terças pelas quintas. Ela substituirá "S.WA.T.", que terá a temporada concluída na próxima sexta.

E fique antenado! "Sintonia PB" continua de olho no que ocorre fora dos esportes e retorna na próxima coluna.

Hermano Henning completa 75 anos



Sinônimo de seriedade e credibilidade ao dar notícias, este grande jornalista celebra sua data máxima nesta segunda. Atualmente à frente do "RB Notícias" na Rede Brasil, o pai do André tem uma longa e vencedora trajetória aqui no Brasil e fora dele também, marcante correspondente internacional que foi. Iniciado no rádio e atuante em impressos como Estadão e Veja, notabilizou-se na televisão, tendo passagens por Manchete, duas na Globo e duas no SBT, emissora com a qual mais se identificou e onde destacou-se como apresentador em espaços como "Jornal do SBT", "SBT Manhã", "TJ Brasil" e "TJ Internacional". Apaixonado por cavalos, também apresenta programas sobre eles em canais por assinatura há muitos anos. Profissional ao qual rendo homenagem por gostar muito desde sempre.

Bela do Dia: Kara Killmer

Kara Killmer, atriz que interpreta Sylvie Brett em "Heróis Contra o Fogo". Embora não seja do elenco original de "Chicago Fire", virou uma das personagens-chave para o sucesso desta série, graciosamente encantadora que é como paramédica.

Datas em 0 ou 5

É um hábito desta "24 Horas" de bastante tempo e que será mantido aqui ao observar datas importantes que completam 5, 10, 25, 40, 65, 100 anos, enfim, sempre em 0 ou 5 pois é como consigo me organizar melhor. As desta segunda, 12 de outubro, são estas:

*100 anos do Caxias de Joinville, 3 vezes campeão catarinense.

*50 anos de Kirk Cameron, ator da série "Tudo em Família".

*45 anos ao quadrado: de Vera Viel, apresentadora do "Zapping" na Record News; de Fábio Noronha, ex-goleiro campeão sul-americano juvenil e sul-americano e mundial júnior pelo Brasil, da Série C pelo Fluminense e estadual por Flamengo, Gama e Atlético Goianiense (e que em 2012 foi dispensado pelo América de Teófilo Otoni após agredir a esposa grávida); de Marion Jones, velocista que foi para a porta dos fundos do atletismo após confessar que usou anabolizantes, o que levou à cassação de praticamente todas as medalhas que conquistou, incluindo 5 olímpicas, das quais 3 douradas; e da abertura dos Jogos Pan-Americanos da Cidade do México.

*35 anos de Ilsinho, jogador do Philadelphia Union e que foi bicampeão brasileiro pelo São Paulo e campeão da Copa da UEFA e de 7 conquistas nacionais entre campeonato, copa e supercopa ucranianos pelo Shakhtar Donetsk.

*25 anos do horrível e doloroso episódio do chute que o bispo Sérgio von Helder deu em uma imagem de Nossa Senhora de Aparecida durante um culto da Igreja Universal transmitido pela TV Record.

*20 anos do Estádio Nilton Santos, o de Palmas.

Cláudia Abreu completa 50 anos



Pequena na altura (1,64 metro) e imensa no talento, esta ótima atriz é cinquentona desde esta segunda-feira. Ela brilha na telinha desde ainda a adolescência, quando estreada num "Tele Tema" da Globo, única emissora de TV na qual trabalhou a vida toda, depois fazendo minisséries como "Anos Rebeldes" e novelas como "Fera Radical", "Que Rei Sou Eu?", "Belíssima" e outras de personagens inesquecíveis não só dela em si, como da teledramaturgia, destacando-se a Clara de "Barriga de Aluguel", a cachorra Laura de "Celebridade" e a Chayene de "Cheias de Charme". Também atuante no teatro, esteve em filmes como "Tieta do Agreste", "O Xangô de Baker Street" e "Os Desafinados".

Clipe do Dia: Sérgio Mallandro

Segunda-feira dos 65 anos deste apresentador, ator, cantor e humorista, que estourou no SBT como jurado maluquete do "Show de Calouros" e fez o sucesso infantil "Oradukapeta", com clássicos como o goleiro Mallandrowski e a "Porta dos Desesperados". Atuante na primeira turma da "Escolinha do Professor Raimundo" como série independente, também foi apresentador infantil na Globo. Depois, passou por CNT e Gazeta de SP, aí voltando-se para programas com as famosas pegadinhas com direito a assistentes de palco boazudas e tesudas. No cinema, fez filmes como "Menino do Rio", "Lua de Cristal" e "Inspetor Faustão e o Mallandro", do qual deixo vocês com ele: o "Rap do Ovo".



Clipe do Dia: Luciano Pavarotti

Falecido em 2007, o tenor que popularizou mundialmente a ópera com interpretações magistrais nasceu há 85 anos fechados nesta segunda. Entre 1979 e 2000, veio 7 vezes ao Brasil e apresentou-se em Rio de Janeiro, São Paulo e aqui em Porto Alegre, num espetáculo conjunto memorável com Roberto Carlos no Beira-Rio em 1998. Destaco de 1983 a linda cantoria de Pavarotti para a preciosidade máxima que é "La Donna È Mobile".



Arremate

Coronavírus já vitimou no Brasil 150 mil dos quase 5 milhões e 100 mil infectados. Força e solidariedade.

"24 Horas" volta rezando que um dia este mal cesse ou diminua drasticamente.

Torneios de futebol, todas as modalidades e variedades não-esportivas.

Destaques da imprensa esportiva. O que acontece em TV, rádio, jornal e web.

Podcasts com pitacos sobre os esportes e outros registros interessantes.

Convidados escrevem sobre temas de agora no futebol e em todos os esportes.

Para entender o presente, é preciso conhecer o passado. Aqui se faz isso.

Teste de conhecimentos com direito a charadas e perguntas "pega-ratão".

Verde para o bom, vermelho para o ruim e amarelo para chamar a atenção.

Gente do esporte dá dicas de livros, filmes, música, culinária e mais.