.


.

  24 Horas
  Papo de Mídia
  Academia Esportiva
  Papo Especial
  Especiais PB
  O Jogo da Minha Vida
  Rádio PB
  PB Interativo
  Sites Parceiros
 

OFERECIMENTO

.

ATENÇÃO: página melhor visualizada em 1024 x 768 - Seja bem vindo ao PAPO DE BOLA - O SITE!

.

24 HORAS
Futebol, esportes, sintonias e belas

.

Segunda, 10 de junho de 2013 - ANO 10, EDIÇÃO 272
A primeira vez na Arena

Eu já tinha assistido jogos no mais centralizado Beira-Rio, no mais centralizado Olímpico (ambos na Zona Sul) e no mais distante Passo D'Areia (na Zona Norte). Faltava assistir um jogo na longínqua Arena, que digo ser e não ser de Porto Alegre pois, embora esteja ainda aqui por ficar no bairro Humaitá (Zona Norte), é como se fosse da Grande POA por ficar no acesso à região metropolitana, com a Freeway ao alcance do vivente. Não falta mais. Ontem, não só estive na Arena para assistir Brasil x França como ainda estive no setor de imprensa, com este Papo de Bola - o Site devidamente credenciado para acompanhar o jogo, um presentão nestes 10 anos completados no dia 2.

Diga-se de passagem: nem foi ideia minha que isto acontecesse, ainda mais que o momento particular familiar não permite uma aventura dessas devido a várias dificuldades que estamos atravessando. Lá atrás, eu achava que assistiria ao jogo pela televisão mesmo, conectado ao Twitter e ali comentando e cornetando a pugna. Porém, dois prezados simpáticos considerados (um tendo a ideia e outro fazendo o meio de campo) tiveram a ideia de me incluir no pessoal que trabalharia na cobertura do amistoso. Por mais que o momento não seja favorável, é o tipo da oportunidade que eu não poderia recusar. Então, lá fomos nós (minha família e eu) fazer um esforço para tornar isso viável. Graças a Deus, tudo saiu direitinho e o saldo final é um acontecimento inesquecível.

Do sábado eu deixo para falar mais na coluna "Papo de Mídia" pois fiquei mais junto com os jornalistas, tanto na concentração no hotel Deville quanto na Arena, onde a Seleção reconheceu o gramado para o dia seguinte. Mas dá para dizer que estava simplesmente insuportável ouvir as tietes do lado de fora - ainda que nem houvesse razão para elas estarem ali pois a atividade não foi liberada para o público, o que é uma pena pois pareceu uma blindagem excessiva do Brasil, quando melhor teria sido já colocar o time em contato com a torcida ali, com uma atividade que levasse bastante gente ao estádio (igual ao rachão feito no dia anterior ao Brasil x Paraguai jogado no Beira-Rio em 2005, pelas Eliminatórias, quando lá estive). Voltando às tietes: gritaria de doer os ouvidos! Mas que loucas elas! Como se fosse adiantar algo, como se algum jogador chegasse ali para falar com as berronas.

Vamos ao domingo. Publiquei o site às 10 da manhã e fiz alguns ajustes para rumar ao novo palco gremista: ida no mercadinho para pegar umas poucas coisas, tomar um banho, fazer um lanche, pegar todos os apetrechos necessários e me mandei para o Centro, pois ali eu pegaria a linha de ônibus especial que deixaria direto no local da ação - uma das duas: a localizada no Mercado Público. Uma fila grande de passageiros e vários veículos à disposição, isso foi bom. O trajeto correu sem problemas, mas o ônibus onde fui e todos os outros carros em certo trecho ficaram uns 5 minutos parados. Motivo? Era o ônibus da seleção da França, que passou no vão aberto ali, egresso do hotel Sheraton, no Moinhos de Vento. Perfeitamente compreensível.

Cheguei na Arena por volta das 3 da tarde. Movimento grande de torcedores e clima na mais santa paz e muito descontraído. Devidamente credenciado - pois quem assim está precisa usar a credencial e deixá-la visível todo o tempo -, cheguei ao setor destinado à imprensa, com um monte de mesas colocadas para os cronistas fazerem sua atividade, setor colocado no lugar de parte da arquibancada correspondente à esquerda das imagens das televisões. Ali ficaram profissionais de várias televisões, alguns de emissoras de rádio e pessoal de jornal e web. Me acomodei na primeira fileira e fiquei em um lugar privilegiado... ou nem tanto, pois pouca ação aconteceu naquela faixa do campo, basicamente resumido a cobranças de escanteio e um que outro lance mais. Fui com bloco de notas, caneta, celular com TV, um rádio de pilha e um lanche em uma bolsa preta.

Impressão que tive olhando a Arena por dentro pela primeira vez, após vê-la diversas vezes na televisão: é linda não apenas por fora, mas também dentro, tanto olhando ela "ao natural" no sábado quanto ontem, com mais de 51 mil pessoas presentes e lotação praticamente total, à exceção de alguns clarões atrás da baliza na qual saíram os três tentos da tarde. É um estádio completamente diferente do Olímpico e do conceito original do Beira-Rio (falo "conceito original" já que as reformas nele para a Copa do Mundo o deixarão semelhante à Arena no tocante às arquibancadas com cadeiras e próximas ao gramado, sem o setor da Coreia), mas igualmente muito bom de se olhar e com uma imponência grandiloquente. Uma única sensação estranha que tive foi quando a torcida baixava a guarda em alguns momentos do jogo, deixando um silêncio que oferecia um ar de teatro.

Aí, tem o amistoso em si para falar, o último do Brasil antes da estreia na Copa das Confederações. Um primeiro tempo brabo de aguentar, com o time de Luiz Felipe Scolari mal encaixado e com aquele problema de faltar um pensador no meio de campo, embora fosse dele as melhores oportunidades e as chegadas mais constantes, enquanto a França apostava mais nos contra-ataques. Só mesmo alterações poderiam resolver a situação no tempo segundo, pois não dava ser pior. A primeira alteração nítida na metade final foi notada em mais atitude, com minutos iniciais muito bons dos dois lados. Mas fora isso, os franceses não fizeram mais nada. Faltavam os gols brasileiros. Oscar deixou o dele e os outros dois tentos vieram do pessoal iniciado na reserva, tanto o do Hernanes quanto o do Lucas no fim. Uma atuação segura e tranquila, escore construído sem traumas.

Escrita por escrita, valeu mais a favorável da Seleção aqui em Porto Alegre, onde venceu pela décima vez seguida e a décima segunda em 15 jogos, como você leu na coluna de ontem. Primeiro triunfo do Brasil sobre a França após seis fracassos seguidos e primeiro sucesso diante de um selecionado campeão mundial após sete quedas. Longe de estar ótima, a Seleção ao menos chega com moral para a estreia de sábado que vem, diante do Japão. Se vai muito adiante nas Confederações? Não sei. E até não acho tão fundamental que o Brasil ganhe a "Série B da FIFA". Fundamental é ir trabalhando tudo até a Copa do Mundo, essa sim a que realmente vale. Lógico que não serei eu que reclamarei se o torneio deste mês for vencido, mas não ficarei arrasado em caso de perda. Agora, que precisa melhorar bastante, precisa. Ganhou, beleza. Mas não é futebol de campeão, longe disso.

Encerrado o jogo, encerrei também meu trabalho por ali, já que não tive acesso às entrevistas pós-jogo pois para isso seria preciso um credenciamento especial, que eu não tinha - e nem lamentei isso pois tenho ciência das minhas limitações e sei que não acrescentaria em nada à entrevista do Felipão ou à correria da zona mista com os jogadores pois não saberia fazer qualquer pergunta relevante. Acabei pegando o ônibus para voltar ao Centro. Ônibus lotadaço, várias linhas disponíveis ali - mas pareceu um serviço mais eficaz que o de táxi, que li na web que desagradou pois colocaram apenas 300 veículos na função (e eu, que já sofri algumas vezes com falta de táxis nos últimos meses em inícios de noite de dias comuns, não consigo estranhar isso, não sei por qual razão). Dali do Centro, sim, peguei um táxi e regressei à base, chegando depois das 7 da noite. Chegando satisfeito.

Foi uma experiência inédita, imprevista e inesquecível, mas que confesso que, assim como foi, não pretendo repetir. O hábito de acompanhar as partidas conectado no Twitter e acessando a web o tempo todo me fez sentir falta de poder interagir com o pessoal na hora da bola rolando, até porque eu não consigo ficar de olho apenas no jogo em si - e nem mesmo no estádio, com o campo ao meu alcance, fosse ontem no setor de imprensa ou seja em arquibancada inferior ou superior, consigo fazer diferente. Gosto de olhar os repetecos para ver algo que perdi, por isso mesmo levei um celular que capta TV aberta. E quando tem rodada do Brasileirão, eu olho um jogo, mas gosto de ficar a par (e ímpar) dos demais. Mas talvez seja apenas questão da falta de hábito de ir nos estádios, o que nem sempre a grana permite. Quem sabe, quando a coisa melhorar, eu melhore também neste sentido.

Por fim, viventes: comecei a função aqui na Internet somente às 10 da noite, depois de uma rápida parada para dar uma respirada e jantar, mas procurei fazer tudo normalmente, apurando os destaques do fim de semana para aqui comentá-los nesta segunda-feira - e isso tendo ainda um monte de fotos tiradas no sábado e no domingo para incrementar esta operação especial. Só que eu estava acordado desde as 5 da manhã e, quando chegou perto das 3 desta madrugada, o esgotamento físico me venceu. Resultado: "capotei" e só levantei perto das 8 da manhã. Por isso a publicação atrasada destas colunas. Mas publicadas são nesta segunda, sim, e no decorrer do dia também editarei a galeria de imagens e avisarei tanto no Twitter quanto no Facebook quando publicá-la.

É isso, então. Nada falei antes pois queria primeiro que tudo acontecesse, e bem. Não queria contar com os ovos sem ter a galinha primeiro. Ainda bem que tudo acabou bem. E vamos em frente, pois tem muito mais a falar.

Ainda na conversa de Seleção

Sábado, o Brasil ganhou seu sétimo Torneio de Toulon ao vencer a Colômbia pelo marcador mínimo, o primeiro conquistado desde 2002. Para quem não acompanhou com tanto afinco, os chamados por Alexandre Gallo para esta competição sub-20 foram estes: no gol, Matheus Vidotto (Corinthians) e Alisson (Internacional); nas laterais, Lucas Farias (São Paulo), Tinga (Grêmio), Douglas Santos (Náutico) e Abner (Coritiba); na zaga, Dória (Botafogo), Jubal (Santos), Wallace (Cruzeiro) e Lucas (São Paulo); na marcação do meio, Mattheus Biteco (Grêmio), João Schmidt (São Paulo), Filipe Augusto (Rio Ave) e Danilo (Vasco); na articulação do meio, Deretti (Grêmio), Rafinha Alcântara (Barcelona) e Fernando Baiano (Internacional); e no ataque, Kenedy (Fluminense), Vinicius Araújo (Cruzeiro), Giovanni (Corinthians), Michael (Fluminense), Yuri Mamute (Grêmio) e Erick Lima (Goiás).

Os públicos do fim de semana

Tirando o do amistoso da Seleção Brasileira, o maior foi o no para uns sim e para outros não clássico paulistano de sábado à noite, único na casa das 30 mil pessoas. O da alagada Ilha do Retiro, no sábado, foi o único acima dos 20 mil. Como sempre, não achei algumas plateias para inclusão. Mas vamos com o apanhado da vez.

51.463 (51.919) - Brasil 3 x 0 França (Amistoso) - Arena, Porto Alegre (RS)
30.785 (33.219) - Corinthians 0 x 0 Portuguesa (Série A) - Pacaembu, São Paulo (SP)
21.726 - Sport 1 x 0 Palmeiras (Série B) - Ilha do Retiro, Recife (PE)
18.638 - Criciúma 0 x 3 Flamengo (Série A) - Heriberto Hulse, Criciúma (SC)
16.815 (21.364) - Coritiba 1 x 0 Náutico (Série A) - Couto Pereira, Curitiba (PR)
15.513 - Cruzeiro 2 x 2 Internacional (Série A) - Arena do Jacaré, Sete Lagoas (MG)
5.753 - Atlético Mineiro 2 x 0 Grêmio (Série A) - Arena do Jacaré, Sete Lagoas (MG)
5.589 - Chapecoense 5 x 1 ABC (Série B) - Arena Condá, Chapecó (SC)
5.016 - Avaí 0 x 2 Joinville (Série B) - Ressacada, Florianópolis (SC)
4.814 (5.212) - Botafogo/PB 1 x 1 Sergipe (Série D) - Almeidão, João Pessoa (PB)
4.568 (5.234) - Paraná 1 x 0 Figueirense - Vila Capanema, Curitiba (PR)
3.867 - Guarani 1 x 0 Mogi Mirim (Série C) - Brinco de Ouro, Campinas (SP)
3.473 - Ponte Preta 0 x 2 Botafogo (Série A) - Moisés Lucarelli, Campinas (SP)
2.954 (4.802) - Vitória 3 x 2 Atlético Paranaense (Série A) - Joia da Princesa, Feira de Santana (BA)
2.623 (3.986) - Vasco 1 x 1 Bahia (Série A) - Raulino de Oliveira, Volta Redonda (RJ)
2.575 (2.910) - Fortaleza 2 x 2 Águia (Série C) - Junco, Sobral (CE)
2.496 - ASA 3 x 1 Icasa (Série B) - Coaracy da Fonseca, Arapiraca (AL)
1.868 - Atlético Goianiense 1 x 0 Paysandu (Série B) - Serra Dourada, Goiânia (GO)
1.700 (2.570) - Fluminense 2 x 1 Goiás (Série A) - Moacyrzão, Macaé (RJ)
1.654 (1.899) - Treze 1 x 1 Sampaio Corrêa (Série C) - Ernani Satyro, Campina Grande (PB)
1.437 - América Mineiro 4 x 3 Oeste (Série B) - Arena do Calçado, Nova Serrana (MG)
1.057 - Barueri 1 x 0 CRAC (Série C) - Arena, Barueri (SP)
965 - América de Natal 2 x 2 Guaratinguetá (Série B) - Barrettão, Ceará-Mirim (RN)
785 - Brasiliense 0 x 0 Baraúnas (Série C) - Serejão, Taguatinga (DF)
747 - Santo André 2 x 1 Villa Nova (Série D) - Bruno José Daniel, Santo André (SP)
727 - Luverdense 1 x 1 Cuiabá (Série C) - Passo das Emas, Lucas do Rio Verde (MT)
436 - Bragantino 1 x 0 São Caetano (Série B) - Nabi Abi Chedid, Bragança Paulista (SP)
314 (398) - J. Malucelli 1 x 2 Londrina (Série D) - EcoEstádio, Curitiba (PR)
303 (403) - Duque de Caxias 1 x 1 Vila Nova (Série C) - Marrentão, Duque de Caxias (RJ)

Os destaques do Campeonato Brasileiro

Com Deivid indo às redes aos 54 segundos, o Coritiba ficou sendo o último time invicto desta temporada. Bastou este gol para ir aos 11 pontos em 5 rodadas e superar o Náutico, que está em décimo sétimo, com apenas 4.

A vice-liderança é do Vitória, que foi aos 10 pontos numa contenda rubro-negra bem animada com o Atlético Paranaense. Gol aqui, gol ali, gol acolá e o saldo final foi de 3 para os baianos e 2 para os paranaenses, com destaque ao bonito tento do Maxi Biancucchi, o segundo do Leão, ao dominar na direita, despistar o marcador, invadir a área e fuzilar. Foi um jogo definido literalmente apenas no último lance, pois o Furacão acertou a trave e não conseguiu o empate. Por isso, não foi nem aos 8 e nem mesmo aos 6 pontos, estacionando nos 5.

A terceira posição é do Botafogo, que ganhou sem muitos problemas da Ponte Preta no sábado à noite, anotando duas vezes na etapa inicial e quase trincando na etapa final. 10 pontos pros cariocas e apenas 3 dos paulistas.

O quarto lugar é do Fluminense, que tem um jogo a menos e ficou em encrencas quando o Goiás ficou com um atleta a mais graças à expulsão muito idiota do Rhayner, completamente destrambelhado ao dar um carrinho criminoso no Renan, e ao gol feito pelos alviverdes no segundo tempo. Mas mesmo com estes percalços, os atuais campeões brasileiros chegaram a uma bela virada, iniciada num golaço de Rafael Sobis para o empate. São 9 pontos em 4 partidas para o Tricolor, que será líder se vencer na quarta-feira. O Esmeraldino parou nos 5.

Quinta colocação para o Cruzeiro, que começou perdendo num belo gol do Otávio, em combinação beleza pura com Fred. Mas o Internacional não segurou a vantagem e tomou a virada de uma Raposa apoiada em peso na Arena do (Zé) Jacaré. O tento da virada surgiu de penalidade máxima completamente fora de senso cometida por Rafael Moura. Só que os donos da casa não saíram de Sete (Letícias) Lagoas com 3 pontos pois Gabriel deixou o Colorado trazer ao menos um ponto para o Sul. 8 pontos para os mineiros e 6 para os gaúchos.

Em sexto está o Bahia, que teve uma vez mais Fernandão guardando nas redes - terceiro jogo seguido com gol dele, se não estou errado. Mas ele foi aos 8 pontos e não aos 10 graças ao empate obtido pelo Vasco em uma aprontada daquelas do apitante, pois até a família do Carlos Alberto viu que em absoluto foi pênalti nele. Não é querer dizer que o resultado foi culpa da arbitragem e sim apontar um delito grave dela. 7 pontos pro Cruzmaltino.

O Vasco tá em nono lugar na turma dos 7 pontos, enquanto o sétimo é o São Paulo, que não jogou neste fim de semana e terá pela frente na quarta-feira o Grêmio, que ontem teve pouquíssimas possibilidades ante o Atlético Mineiro, que foi senhor das ações e chegou com merecimento aos 4 pontos (média de um por rodada). Só para deixar mais bronqueada a parada pro lado tricolor, os dois gols foram marcados pelo Ronaldinho Gaúcho. O Galo não vai ser rebaixado, esse início ruim de Brasileirão é circunstancial devido à prioridade pra Libertadores, ainda que ela só seja disputada de novo em julho. O Imortal, sim, é que preocupa pois continua irregular.

Décimo colocado, o Criciúma parou nos 6 pontos ao ser atropelado diante de sua gente pelo Flamengo, em mais uma mostra das deliciosas incoerências do futebol. Claro que decisivo para isso foi a expulsão do Fabinho, que perdeu a cabeça ao acertar a cabeça do Elias, que também deu uma valorizada, mas foi mesmo atingido, assim sendo, correta a expulsão do tricolor. O Mengão chegou com merecimento aos três gols de vantagem, o último deles olímpico do Gabriel. Lance muito difícil, mas a bola realmente entrou. São 5 pontos para os cariocas.

Por fim, o Corinthians está em décimo segundo, com 6 pontos, enquanto a Portuguesa (com um jogo a menos) é penúltima, com 3. Eles empataram sem gols no Municipal de Sampa City, na estreia de Ibson pelo Timão. Aliás, mais uma vez foi reforçado que aquele Corinthians muito bem que ganhou a Libertadores e o Mundial se perdeu em algum lugar do Japão no meio da celebração e não voltou para o Brasil. Claro que as melhores possibilidades na etapa final foram dele, mas nada à altura do status adquirido. Já a Lusa vai nessa toada fraca mesmo.

Quarta-feira, para todo mundo ficar alinhado com 5 partidas, teremos o atrasado Portuguesa x Fluminense, ainda da segunda rodada, e os dois jogos que encerram a jornada deste fim de semana, que são Santos x Atlético Mineiro e Grêmio x São Paulo. Apenas depois deles é que publicarei o rescaldo dos palpites dos amigos do Brasil, já que bem sabem que foram 12 e não 10 chutes desta vez. Passado isso, Brasileirão só em julho.

Os destaques da Série B

Muito por alto, reconheço, mas foram destacados na coluna deste domingo, com direito ao rescaldo dos palpites do fim de semana e à lista dos 10 jogos de amanhã para seus chutes. Apenas um acréscimo se faz necessário: falei que não sentia firmeza em ter tido toque de mão do Nunes no gol do Sport sobre o Palmeiras pois vi apenas os ângulos da TV Globo, que não foram tão favoráveis para isso, e que esperava ver um da TV Bandeirantes para mudar de ideia ou não. Dito e feito: um ângulo privilegiado da Band atrás do gol comprovou que o jogador do time pernambucano conduziu a bola com o braço esquerdo, assim ajeitando para o chute decisivo. E outra: mais um treinador novo chegou. É Sidney Moraes, ex-Boa Esporte, agora no Icasa, pois Francisco Diá foi embora.

Duas dos Estaduais

14 anos depois, o Interporto voltou a conquistar o Campeonato Tocantinense depois de empatar na ida e ganhar neste fim de semana a volta contra o Gurupi, que perdeu a chance de ser o primeiro tetracampeão estadual. A campanha teve 11 vitórias, 4 empates e 3 derrotas, com 34 gols a favor e 22 gols contra.

Já na Série B do Rio de Janeiro, dois times já estão assegurados no triangular final: o América, pela classificação geral, e o Bonsucesso, por vencer o primeiro turno. Falta agora saber quem ganhará o segundo turno. A semifinal terá Cabofriense x São João da Barra e Angra dos Reis x Bonsucesso. Detalhe importante: se der Bonsucesso de novo, ele é campeão direto, cai isso do triangular e o outro acesso fica com o melhor time no geral.

Tragédia argentina?

Derrotado ontem pelo River Plate, o Independiente está com um pé e quatro dedos do outro na segunda divisão da Argentina. Se o Argentinos Juniors ganhar hoje do San Lorenzo (a bola rola às 10 e 15 da noite), confirmado será o rebaixamento do Rei de Copas. É brabo quando a coisa chega a esse ponto... Bom, o Torneio Final está na antepenúltima rodada e o River foi aos 32 pontos, empatado com o Newell's Old Boys, que hoje recebe o Unión. Também na briga continua o Lanús, que soma 29 pontos e visita o Estudiantes nesta segunda-feira.

Curtinhas

*O Troféu Brasil de Atletismo foi bom para Fabiana Murer, que venceu a prova do salto com vara ao marcar 4,73 metros, a sexta melhor marca deste ano de 2013. Curiosidade: as outras cinco são de apenas duas saltadoras (Yarisley Silva com 4,90, 4,85 e 4,81, e Jennifer Suhr com 4,80 e 4,77).

*Brasil campeão pan-americano feminino de handebol ao tocar 38 x 15 na Argentina, em competição realizada na República Dominicana. Legal! Agora, é esperar a presença das gurias no Mundial, em dezembro, na Sérvia.

*Com 3 x 2 (28/26, 25/22, 23/25, 20/25 e 15/10), o Brasil suou para vencer a Polônia no segundo jogo pela Liga Mundial, mas triunfou e chega bem para a segunda jornada dupla, contra a Argentina, no próximo fim de semana.

*Se assim foram os homens do vôlei, as mulheres também foram bem ao ganhar o Torneio de Alassio com 3 x 0 (25/18, 25/17 e 25/10) diante da Itália. Nos torneios amistosos, as damas brasileiras tem se saído numa boa.

*A vitória do Canadá deixou Sebastian Vettel com 132 pontos no Mundial de Pilotos, contra 96 do Fernando Alonso, ontem segundo colocado com 14 segundos de distância para o chucruteiro. Terceirão, Lewis Hamilton subiu aos 77 pontos, atrás dos 88 de Kimi Raikkonen, que em Montreal acabou em nono e atingiu uma marca muito expressiva: 24 GPs seguidos pontuando, igualando Michael Schumacher. Será que o finlandês supera o alemão na Inglaterra, daqui a 3 semanas? Felipe Massa largou lá atrás, em 16º, mas conseguiu chegar em 8º.

*A nota triste foi a morte de um fiscal de pista que foi atropelado por um guindaste que recolhia a Sauber do piloto Esteban Gutiérrez. O homem morreu às 7 da noite (Brasília) e sua morte foi anunciada pela FIA uma hora após.

*Fórmula Indy com Brasil na frente, Helio Castroneves sendo o vencedor no Texas após largar em sexto. Quarta vitória naquele oval. Tony Kanaan foi o 3º, ficando atrás de Ryan Hunter-Reay. Sábado, o GP é em Milwaukee.

*Será que pelo menos no basquete masculino o Real Madrid concluirá 2012/2013 com um título? A decisão da Liga ACB começou ontem com 76 x 72 a ele favorável diante do Barcelona. O segundo jogo acontece amanhã. Os dois primeiros são em Madrid, os dois seguintes em Barcelona e o quinto e último novamente em Madrid.

*Com direito a um toco extraordinário do LeBron James em cesta certa do Tiago Splitter, o Miami Heat fez 103 x 84 no San Antonio Spurs e certo é que, no mínimo, ao quinto jogo irá a decisão da NBA, que continuará amanhã.

*Irmãos Bryan, Serena Williams (pela segunda vez e diante da freguesa de marca maior Maria Sharapova) e Rafael Nadal (pela oitava vez e chegando às 59 vitórias neste Grand Slam) saem consagrados da edição deste ano de Roland Garros. Gostei do Nadal ser campeão. Ele ficou um tempão no ano passado se recuperando dos problemas físicos, mas voltou para continuar no topo. É cracaço. E vê-lo jogar - e bem - é sempre uma alegria.

Sintonia PB

Começa o tópico desta "24 Horas" que está antenado no que ocorre fora dos esportes. Às novidades:

*A manhã já reservou a estreia do Flávio Fachel na apresentação do "Bom Dia RJ" e falta agora a Globo estrear Ana Luiza Guimarães no "RJTV" das 7 da noite. As despedidas dela do matutino e do Márcio Gomes do noturno, na sexta-feira, foram rápidas, diretas e sem firula, explicando ao telespectador as mudanças sem qualquer coisa mais exagerada emocionalmente. Simples e bem feito. A do Márcio está aqui (postada por katepurple).

*Leio no NaTelinha que a prévia do "Ipobre" no Grande Rio apontou uma vitória muito apertada do primeiro "Bom Dia RJ" do Fachel, por 4,3 pontos de média contra 3,4 do "Balanço Geral RJ: Manhã" - mas com o noticiário do Luiz Bacci deixando a Record por mais de meia hora na primeira posição.

*Caí do cavalo! E as crianças perderam mais um espaço. Surpreendentemente, o "SBT Manhã" do César Filho, que desde hoje vai até 9 da manhã, não é mais local de São Paulo e sim transmitido para a rede nacional (ou seja, no ar para Sampa City e também regiões sem programação local no horário, como Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte e Brasília). Caiu aquilo do "Carrossel Animado" SAT, que no ar estava até a última sexta. Saem os desenhos animados e entram as notícias do dia, últimas informações ao vivo, destaques do futebol, previsão do tempo, a opinião do apresentador sobre os fatos do momento e participação dos telespectadores respondendo a uma pergunta do dia seja em vídeo enviado pelo site do SBT ou por telefone.

*Por isso mesmo, agora o jornal do César se chama "SBT Manhã: 2ª Edição", não sendo mais continuação do nacional apresentado por Hermano Henning e Joyce Ribeiro, mas sim uma edição à parte. Também por conta da mudança - e isto é positivo -, as informações paulistanas deixaram de predominar na pauta, já que agora no ar ele está para boa parte do Brasil. Claro que o lado ruim foi diminuir as participações da lindona Patrícia Rocha, que era bastante acionada para falar do trânsito, mas tá melhor assim mesmo. A parte que vi foi das 8 em diante, o início eu perdi. Mas dá para registrar algo legal: interação com repórteres de várias regiões do Brasil, alguns deles dos estúdios das emissoras (casos de Liane Borges no Rio de Janeiro e Iana Coimbra em Belo Horizonte).

*Li no NaTelinha que a prévia da audiência apontou 3 pontos pro SBT, contra 5 da Record e 6 da Globo em SP.

*Ainda sobre o SBT, bem observado pelo Flávio Ricco - e eu vi essa e esqueci de registrar aqui no site: durante um boletim de intervalo às 2 da manhã de sexta-feira, Analice Nicolau disse que Casagrande tinha sido assaltado "nesta madrugada". E isso aconteceu ainda no dia anterior, não sendo notícia do momento. Essa não foi bem.

*Outra do "guru": tem quem diga que a Record News estaria de mudança da Barra Funda para uma produtora independente em São Paulo, embora a Rede Record não confirme isto oficialmente. Tá nesse ponto a coisa, é?

*A saideira: assistem aqui (postada por furianatv) a despedida de Gugu Liberato da Record, encerrado ontem o último "Programa do Gugu". Despedida rápida, com os devidos agradecimentos e tudo mais.

E fique antenado! "Sintonia PB" continua de olho no que ocorre fora dos esportes e retorna na próxima coluna.

Bela do Dia: Laura Medina

Laura Medina, jornalista, apresentadora do "Vida e Saúde" na RBS TV do Rio Grande do Sul e atriz, aí vista nas filmagens de "Senhores da Guerra", de Tabajara Ruas, que chegará em breve. O registro é da prestigiada fotógrafa Dulce Helfer, devidamente pego da página dela no Facebook (mas com crédito a quem merece, como é devido fazer). Laura é uma moça bonita e simpatiquérrima pra burro, uma voz ótima, uma presença que arrebata. Ela esteve na mostra fotográfica "Personagens e Personalidades", da Cia. Teatro Novo, já que foi uma das participantes ao ser a Rainha Má de "Branca de Neve e os Sete Anões". E que Rainha Má! "Máravilhosa".

Convivas

As mensagens aqui publicadas são remetidas pelos leitores deste PB ao e-mail papodebola@gmail.com.

"Montillo não se mostrou a melhor alternativa para ser armador da Argentina contra a Colômbia. 0 x 0 intenso, até bom de assistir, mas longe de ser brilhante. *** Por que só agora a Conmebol equiparou à Libertadores o Sul-Americano ganho pelo Vasco em 1948? Entendo o valor da conquista, mas é estranho todos quererem que tudo valha a mesma coisa e não era necessário se dizer que esse título é igual ao disputado no momento. *** Allianz Parque foi o nome menos ruim do estádio do Palmeiras, sendo os outros Allianz 360º e Allianz Center, mas Allianz Palestra ainda seria melhor. *** Merecidas as homenagens ao Alex pelos expressivos 400 gols. *** Flávio Ricco foi muito bondoso ao chamar de jornalístico o humorístico chinfrim que é o 'Balanço Geral' do Geraldo Luís. *** A saída do Gugu é muito boa para a Record, e sua chegada será péssima para qualquer canal. Apresentador que só agrega mau gosto, falsidade e baixo nível. *** Se a RedeTV! colocar o 'Morning Show' à tarde, mas no lugar da Sônia Abrão, sem problemas. *** Será que a única coisa que funciona na Globo depois do 'Fantástico' é filme de pancadaria?" (Alexandre Rodrigues Alves)
Claro que ele se refere em termos de SP Capital, pois em boa parte do Brasil tem primeiro os programas locais semanais antes do "Domingo Maior".

"Desde quando 'O Palhaço' é filme pro Telecine Cult e 'Didi e a Princesa Lili' é filme pro TCM?" (André Luiz Matias Miranda)
Tem a ver com a obrigatoriedade de cotas de conteúdo brasileiro nos canais fechados, André.

"3 x 0 Criciúma? Hi, hi, hi, hi, hi... Você errou o alvo. *** Não me iludo com os categóricos 3 x 0 do Brasil. A França é uma baba e precisar torcer para não encarar um Portugal ou uma Croácia na repescagem pra Copa do Mundo. Na base do 'vamos que vamos', pode até dar para o Brasil enganar na Copa das Confederações, mas em 2014 o buraco é mais embaixo com Alemanha e Argentina. *** O Montillo da sexta-feira foi o do Santos: um jogador comum. *** O Paraguai não fará falta à Copa - logo a do Brasil, para onde seus torcedores poderiam vir de carro - pois tem um joguinho amarrado e pouco inspirado, mais preocupado em não deixar jogar do que em produzir. *** Li certa vez que 'Cobras & Lagartos' teria que sofrer muitos cortes para passar no 'Vale a Pena Ver de Novo'. Melhor seria que exibissem na íntegra pelo Viva. *** Poucos lembram de 'Fera Ferida', uma trama inteligentíssima de Aguinaldo Silva baseada em Lima Barreto, em detrimento das comuns 'Pedra Sobre Pedra' e 'A Indomada'. E 'Senhora do Destino' era uma trama original, por isso não é superada por 'Avenida Brasil' e seu plágio descarado de 'Revenge'. *** Rachei de rir com o mico pago pelo Maurício Mattar no 'Programa da Tarde'. Tem que entrar com louvor no 'Top Five' do 'CQC'. Imagina se ele perguntasse quem salgou a Santa Ceia? É nessa hora que se mede sucessos e fracassos." (Clayton Moreira)

"O que o Estatuto do Torcedor diria sobre o convite a Fluminense e Goiânia para o próximo NBB? A credibilidade da Liga Nacional de Basquete fica seriamente comprometida. *** Já não era sem tempo a Globo reprisar um sucesso recente! 'Cobras & Lagartos' deveria ter sido reexibida no ano passado, ao invés de mais uma reprise de 'Da Cor do Pecado'. *** A Manchete deixou saudades nos que anseiam por uma TV de qualidade - principalmente até a venda ao Grupo IBF em 1992, o que demoliu o conceito de uma emissora que gastava muito sem arrecadar o mesmo, mas tinha o respeito dos amantes de uma boa televisão. Lembra o Jornal do Brasil caindo nas mãos de Nelson Tanure nos anos 2000. Depois que trocaram de mãos, essas duas instituições da mídia carioca definharam de tal forma que passaram a viver apenas de seus nomes, de modo que poucos estranharam ou lamentaram seus finais de história - e não conto o JB ser hoje apenas virtual, pois jornal que existe é apenas o impresso em papel." (Daniel F. Silva)

"Record perdendo Gugu, demitindo milhares e ameaçando desativar o Recnov. MTV podendo só operar até o fim do ano e o Grupo Abril podendo fechar 11 revistas. RedeTV! com salários atrasados e trabalhadores sem meio de transporte. Band acabando com quase tudo em Barra Mansa e tendo as contas bloqueadas pela indenização da Xuxa. CNT arrumando outra igreja menos de uma semana após o calote da Mundial. A TV aberta está fadada à extinção, mas não será com meus netos ou filhos adultos e sim antes do fim desta década, pelo andar da carruagem. Estão pagando o preço da cretinice." (Diogo Oliveira)

"O Brasil jogou bem, não no nível esperado, mas ganhou sobre uma França desfalcada de Ribery e Nasri, mas que é uma grande seleção. É importante para dar confiança. Se o Brasil perde, choveria de questionamentos e cornetadas. Jogando da mesma forma na Copa das Confederações, será digno e poderá chegar até na final. *** Trágico o Cruzeiro ao perder Dagoberto e Élber, além de Ricardo Goulart ser burro o suficiente para dar um carrinho sem necessidade nenhuma e ser expulso. Como o elenco do Inter é ótimo e vai brigar pela ponta de cima da tabela, o empate ficou de bom tamanho." (Fernando Clemente)

"Fabiana Scaranzi não namora mais William Waack há muito tempo, Alexandre Rodrigues Alves, e sim é casada com um empresário." (Hugo Leonardo Souza Pinto)

"Se proceder esse fechamento de 11 revistas do Grupo Abril, infelizmente estará na hora disso, pois a pouca qualidade delas é um horror há anos. A Superinteressante decepciona quem a lia há 20 anos. A Playboy é um horror de vulgaridade e apelação. Revistas como Status eram ótimas nas entrevistas que tinham. A Interview era um espetáculo de jornalismo, entrevistas e bom gosto. As pessoas dizem que a Internet chegou para abalar, mas qual jovem talento dela escreve bem hoje? Fiquei decepcionada quando morreu Daniel Piza, homem culto como poucos jornalistas de hoje. O que será do jornalismo com a morte de donos de grandes instituições, como Maurício Sirotsky Sobrinho, Roberto Marinho e, agora, Roberto Civita? Nem sempre os filhos sabem levar os empreendimentos à altura." (Isabel Pinheiro)

"Felipão começou a dar o braço a torcer ao colocar Marcelo na lateral-esquerda. Já era hora. *** Engenhão interditado por mais 18 meses comprova mais duas coisas: a síndrome de construções a la Sergio Naya no Brasil, sobretudo o 'largado' - e não legado - do Pan 2007, e que há coisas que só acontecem mesmo ao Botafogo. Seriam R$ 30 milhões pelos naming rights vendidos à Caixa. Sem essa grana, salários atrasados. Ô zica! *** Gugu fora da Record é bem feito pra ambos. Enquanto não respeitarem os funcionários, estarão bem longe da liderança, graças a Deus! *** 'Morning Show' à tarde seria a cara da RedeTV!. *** Registro atrasado: pedindo música do Guilherme Arantes para Maria Beltrão e Flávia Oliveira, hein, danadinho! (risos)" (Leonardo Dantas)
Mas eu nem achava que seria essa a parte da mensagem que mandei ao "Estúdio i" que a Maria registraria e sim a que falei de "Amanhã". (rs) Mas vai dizer que ela e a Flávia não são cheias de charme? Eh, eh, eh... Aliás, questão de ordem: continuo sem TV paga, sim, mas tem no máximo um ou dois programas que eu dou um jeito de assistir por esses sinais da Internet tanto por eu gostar quanto por depois não poder recuperar completo pela Internet, esse da Globo News sendo um deles.

"O Engenhão será melhor depois desta lambança, mas não dá para cair na pressão das empreiteiras. *** O Vasco só vai melhorar se Roberto Dinamite sair da presidência e se Paulo Autuori conseguir um milagre. *** A economia do Brasil está muito fraca ou meios de comunicação como a Abril gastaram demais no passado? *** Rafael Colombo acertou ao voltar à Rádio Bandeirantes, onde tem mais público e até qualidade que na Estadão. *** Pena que ainda tenha gente que veja um Geraldo Luís e um Marcelo Rezende. 'Balanço Geral SP' e 'Cidade Alerta' são sensacionalismo puro. Não quero sisudez, mas eles passam do limite da informalidade. *** O comentário do Rodrigo Bocardi sobre os manifestantes soltos após pagarem fiança não foi grandes coisas para merecer matéria na Internet. Chega a ser sensacionalismo dos sites. *** Gugu não fará falta aos nossos domingos. Assistencialismo demais dá nisso: audiência baixa. *** Com o fracasso do 'Dentista Mascarado', a Globo estragou a carreira do Marcelo Adnet." (Lucas Furtado Isaias)

"A Record colocar Rodrigo Faro no lugar do Gugu é mudar para ficar do jeito que está. Gugu foi inventado por Silvio Santos e não tinha como dar certo fora do SBT. *** Não entendo por que, mesmo com Internet, as novelas da Globo continuam parando o Brasil." (Marcelo Cioti)

"É uma vergonha colocar o Fluminense no NBB." (Matheus Silva)

"Ana Luiza Guimarães pareceu emocionada no fim do seu último 'Bom Dia RJ'. Permitir que o profissional se despeça humaniza o trabalho. *** Me incomoda a forma como a maioria dos jogadores de futebol se comporta hoje ao fazer um gol, procurando distância dos colegas e até empurrando alguns na comemoração, como se tivesse feito tudo sozinho. Futebol não é isso, mesmo sabendo que o cara quer aproveitar o momento 'midiático'. Às vezes o cara só esbarrou na bola depois do resto do time levar a bola até ali e sai como se fosse Pelé ou Zico e tivesse levado a bola desde o campo de defesa!" (Murilo Santos)
Isso tudo deve ser pra ter material pro bendito DVD passado adiante pelo empresário...

Clipe do Dia

Na carona do celular com TV que levei à Arena para conseguir recuperar lances que eu perdesse no campo em Brasil x França, som mais próprio do que este aqui não tem: "Instant Replay", torpedaço de Dan Hartman no fim dos anos 70.

Arremate

Em fins de semana assim, lamento muito que os dias não durem 48 horas para dar conta de tudo a ser feito.

"24 Horas" volta antes, muito antes, que uma loucurada dessas seja repetida da minha parte!

O COLUNISTA: Edu Cesar é criador e editor do Papo de Bola (autor também da coluna "Papo de Mídia").

TWITTER: @papodebola
E-MAIL: papodebola@gmail.com


LEIA
COLUNAS ANTERIORES
VEJA
"BELAS DO DIA" ANTERIORES

.

.

.


Confira as manchetes do Papo de Bola - o Site, o acompanhamento das rodadas de futebol e comentários diversos. Para ser mais um seguidor, clique aqui.
 
PAPO DE BOLA - O SITE Desde 2/6/2003 Jogue junto com este time!
Criação, produção e edição Edu Cesar E-mail papodebola@gmail.com

.